Províncias

OMA aconselha jovens da província da Lunda Sul

João Salvo e Flávia Massua | Saurimo

As consequências e os riscos da gravidez precoce, particularmente entre as jovens, foi o tema de uma palestra de aconselhamento, realizada terça-feira no Centro Materno-Infantil de Saurimo, pela Organização das Mulheres Angolanas (OMA).

Durante a palestra, promovida pelo secretariado provincial da OMA em parceria com a direcção provincial da Saúde, as jovens foram aconselhadas a aderirem aos serviços de planeamento familiar.
A ideia, explicou a secretária do departamento de Solidariedade e Aconselhamento Jurídico da OMA, é ajudar na educação das famílias, principalmente os jovens, de forma que possam prevenir as gravidezes indesejadas.
Maria Mabaia acrescentou que a OMA sensibilizou igualmente as pessoas a evitarem os casamentos precoces ou sem planeamento, muitas vezes arranjados pelas famílias, por interesses económicos.
“Geralmente esses casamentos forçados não resultam. Os casais acabam por não ter uma boa convivência. A gravidez precoce é um dos principais motivos que levam  os jovens a casarem, comprometendo o seu futuro. Portanto, pretendemos realizar esta campanha de sensibilização também nos municípios do interior”, disse.
A chefe da secção de maternidade provincial, Maria do Céu, explicou sem precisar dados, que os casos de gravidezes precoces são frequentes ao nível do município de Saurimo, sede da província da Lunda Sul. As jovens Emiliana André e Maria Raquel, de 15 e 16 anos, participantes na palestra, valorizaram a iniciativa das autoridades promotoras do evento e consideram que o encontro permitiu dissipar todas as dúvidas concernentes às gravidezes precoces e estão prontas a acatar os conselhos úteis obtidos na palestra e disseminar as informações junto de outros jovens.    

Doação de sangue

Pelo menos vinte músicos locais doaram ontem sangue à hemoterapia do hospital provincial da Lunda Sul, a fim de minimizar a carência registada naquela unidade hospitalar.
A actividade, segundo o director provincial da Cultura, António Isumbo, consta do programa traçado em prol da comemoração do Dia Internacional da Dança, a assinalar-se amanhã. O programa reserva igualmente um encontro de reflexão com os músicos locais para análise de vários temas em prol da música e da dança.
O músico Zebedeu disse ao Jornal de Angola momentos depois de doar sangue que o gesto corresponde aos apelos das autoridades sanitárias, a fim de “acudir e contribuir na salvaguarda da saúde das populações, principalmente as crianças”.

Tempo

Multimédia