Províncias

ONG forma alfabetizadores nas novas abordagens do Sida

Casimiro José | Sumbe

A Associação Angolana para Educação de Adultos (AAEA) realizou, de 24 a 26 de Março, no Sumbe, um seminário sobre novas abordagens do VIH/SIDA.

A Associação Angolana para Educação de Adultos (AAEA) realizou, de 24 a 26 de Março, no Sumbe, um seminário sobre novas abordagens do VIH/SIDA.
Durante o seminário, que contou com a participação de alfabetizadores ou facilitadores dos círculos dos municípios do Sumbe, Porto-Amboim e Quibala, foram a­b­o­r­dados temas sobre “questões contextuais à volta do VIH/SIDA e Educação em Angola” e  “Análise das influências, tendências e impacto do VIH/SIDA na província”.  “Partilha de experiências sociais e factos que levam a compreender a epidemia de VIH/SIDA e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis” e “Influências e mudança de comportamento, para promover uma vivência positiva”, foram temas igualmente abordados.
 O seminário discutiu ainda temas como “Aspectos de trabalho e vida social que podem expor as pessoas à infecção ou vulneráveis ao VIH/SIDA”, “Análise de diferentes mecanismos e compromissos individuais para a prevenção da epidemia”, “Métodos de comunicação efectiva no trabalho com VIH/SIDA e outras questões sensíveis”, “Saúde sexual reprodutiva e questões de direitos da mulheres”. O formador em questões de género da AAEA, Altino Gaita Nunes, disse, ao Jornal de Angola, que “se pensou na formação dos facilitadores em matéria de abordagem sobre o Sida, por serem eles que, no meio rural, lidam com as comunidades”.
Altino Nunes entende que o método mais eficaz para a disseminação da informação em torno das medidas preventivas passa pela constituição de uma rede, onde se incluam os líderes comunitários.
“A AAEA trabalha junto dos facilitadores, no sentido de não apenas se engajarem nas habilidades de leitura e de escrita, como também passarem informações que interessam às comunidades, porque, em muitas localidades, as pessoas não têm rádios, não vêm televisão e muito menos recebem jornais ou outros materiais ilustrativos”, frisou.
A A Associação Angolana para Educação de Adultos trabalha na província do Kwanza-Sul desde o ano 2000, na alfabetização, através do método Reflect, e em matérias sobre o género, Sida e educação para cidadania, disse . O formador em questões de género da AAEA  disse que acções semelhantes vão continuar.

Tempo

Multimédia