Províncias

Ordenamento dos Gambos tem o apoio das empresas

A definição do programa de ordenamento das ruas da sede comunal do Chianje, no município dos Gambos, conta com o contributo das empresas de exploração de rochas naquela circunscrição, garantiu ontem o administrador municipal.

Novas casas construídas no âmbito dos programas de fomento habitacional em curso na região desanuviaram o sofrimento dos funcionários públicos
Fotografia: Arão Martins | Huíla | Edições Novembro

Elias Sova esclareceu que o programa de ordenamento dos Gambos foi já aprovado pelo Ministério do Urbanismo e lembrou que as empresas que exploram rochas ornamentais participam no processo, no quadro do seu contributo social.
Das cinco empresas que exploram rochas no município dos Gambos, cinco estão licenciadas e a sua participação em acções sociais tem sido efectiva.
No quadro da sua acção social, disse, as empresas têm contribuído para a construção de postos médicos e escolas, além de contribuírem para outras actividades que visam melhorar a qualidade de vida da população. Reconheceu que o município está a crescer com o surgimento de novas infra-estruturas.
O administrador dos Gambos informou que estão a ser construídos na região 200 fogos habitacionais, 40 dos quais já construídos e entregues aos beneficiários. Recordou que o processo de distribuição das casas obedeceu à regra determinada pelo Executivo.
“Através do Ministério do Urbanismo, o Executivo orientou que 30 por cento das casas devem beneficiar a juventude, outra percentagem aos antigos combatentes e, por último, aos demais interessados", esclareceu.
Elias Sova lembrou que, a par do programa do Governo, há outras iniciativas individuais que tem a ver com a auto-construção dirigida, afirmando que, com este processo, estão a surgir no município novas obras.
A Administração Municipal dos Gambos tem trabalhado no ordenamento e distribuição de parcela aos cidadãos em áreas seguras para a auto-construção dirigida.
No município dos Gambos, de acordo com o responsável, está em curso, na sede comunal do Chianje, a abertura de ruas no quadro da materialização do programa de urbanização. Trata-se de um processo contínuo.
Das acções em curso, salientou, consta a criação de duas reservas fundiárias do Estado, das quais uma situada na sede do município (Chianje) e outra na Chibemba. Sublinhou que independentemente  das reservas fundiárias do Estado, no município, existem ainda muitas áreas para serem desmatadas.
Segundo o administrador, o programa de construção de casas no município está a facilitar a vida dos funcionários públicos que, no passado, não tinham como fixar residência por falta de casa.
“Os funcionários públicos antes eram obrigados a percorrer mais de 150 quilómetros, mas hoje, a situação é completamente diferente com a construção de novas casas, no âmbito dos programas de fomento habitacional em curso no município”, notou.
O administrador municipal dos Gambos defendeu a criação de subsídios de isolamento para os funcionários que prestam serviço em áreas recônditas, como forma de estímulo. “É importante que se valorize os técnicos que trabalham longe das suas famílias, pois só assim teremos pessoas disponível a funcionar em áreas distantes”, disse, admitindo ser um assunto que deve merecer uma certa atenção por parte das autoridades competentes.

Água para todos


No município dos Gambos foi lançado o projecto de distribuição de água, que visa também apoiar a transumância.
O administrador dos Gambos disse que a implementação do projecto vai permitir que a população deixe de beber água imprópria para o consumo humano, além também de beneficiar o gado. Considerou de grande significado o projecto, porque tem impacto na vida da população.Elias Sova esclareceu que os conflitos entre as tribos por causa da água fazem parte do passado, recordando que o Governo tem investido em acções, de modo que tanto os nativos como os visitantes tenham direito à água.

União Euopeia contribui com projectos sociais no município


As acções da União Europeia estão a contribuir significativamente para a melhoria da qualidade de vida da população dos Gambos, reconheceu o administrador municipal.
Eliás Sova admitiu que foram feitas intervenções de recuperação de infra-estruturas socais, além de terem sido capacitados os camponeses.
Com o programa da União Europeia em curso, acrescentou o responsável, foi possível reabilitar três hortas e introduzidas técnicas de uso de plantas diversas.
O administrador dos Gambos disse ainda terem sido reabilitados e aplicados sistemas de rega gota-gota.
Em função disso, salientou, o recurso de água é pouco e tem-se encontrado métodos que visam um aproveitamento aceitável do produto. O responsável  considerou a formação de escolas de campo, onde se faz os ensaios práticos, como uma das grandes valências para o município dos Gambos.
Com esse método, salientou o administrador, o camponês aprende as técnicas de efectuar alfobre, transplante de couve, repolho, tomate, cenoura e outras culturas.
“É um conjunto de valores que estão a ser passados às nossas comunidades e a dar resultados positivos. No município dos Gambos, já se faz a produção de mandioca, couve e tomate, o que é positivo” disse satisfeito o administrador.
Nos Gambos, mais de 400 famílias inseridas em associações e cooperativas de campo estão a beneficiar do programa de escolas de campo, daí a necessidade de se apoiar as comunidades no sentido de produzirem o suficiente.

Tempo

Multimédia