Províncias

Organizações juvenis pedem mais incentivos

João ConJoão Constantinostantino

Os jovens da província do Bié querem mais oportunidades para melhorar a vida social e académica, disse no sábado o secretário executivo do Conselho da Juventude, Jonatão Cassapi.

Fotografia: Edições Novembro

As preocupações do jovens, reunidos com representantes Governo local, recaem fundamentalmente para a falta de emprego, as dificuldades no acesso ao crédito bancário, a falta de núcleos de escolas superiores e o mau estado das estradas.
Jonatão Cassapi, secretário executivo do Conselho da Juventude no Bié, reclama a falta de um centro cultural na cidade do Cuito, tal como foi feito nos restantes município da província.
“Os jovens fazedores das artes, dança, música e teatro não têm espaço para representar,  já que o único recinto existente cobra 200 mil kwanzas por utilização. Pedimos o regresso do prémio provincial de literatura e a criação de um fundo de apoio ao desenvolvimento juvenil”, disse Jonatão Cassapi, que pediu  ao Governo local “kits” de formação profissional para os jovens associados em cooperativas, bem como a construção  de centros de formação profissional nos municípios onde não existem e o apetrechamento com material dos centros já existentes.
Durante a intervenção de líderes associativos dos nove municípios do Bié,  as reclamações e clamores foram para a falta de oportunidades de emprego e de negócios para os jovens e a falta de núcleos de escolas superiores nos municípios do Andulo e de Camacupa.
A falta de energia eléctrica e de água potável, o mau estado ou ausência de estradas asfaltadas na província e a falta de infra-estruturas sociais nos bairros da juventude constam das preocupações apresentadas. Boavida Neto, governador do Bié, apontou algumas situações que podem ser solucionadas em breve, como a conclusão das estradas Cuito-Andulo e Cuito-Camacupa.

Tempo

Multimédia