Províncias

Parteiras tradicionais na Amboiva recebem instrumentos de trabalho

As parteiras tradicionais da comuna da Amboiva, município do Seles, receberam, na terça-feira, da Secção da Família e Promoção da Mulher, kits de trabalho.A entrega de kits visa facilitar a assistência ao parto nas comunidades rurais.

Nas comunidades rurais os partos vão ser melhor assistidos
Fotografia: Jornal de Angola

As parteiras tradicionais da comuna da Amboiva, município do Seles, receberam, na terça-feira, da Secção da Família e Promoção da Mulher, kits de trabalho.A entrega de kits visa facilitar a assistência ao parto nas comunidades rurais.
 A chefe de secção municipal da Família e Promoção da Mulher no Seles, Júlia Bendo, disse à Angop, que as mulheres nas aldeias nem sempre conseguem dar à luz no hospital ou em centros de saúde, pelo que o papel das parteiras tradicionais é extremamente.
 As parteiras estão a receber instruções da secção local da Saúde, de forma a aperfeiçoar os conhecimentos. A secção municipal de Saúde na Amboiva tem registado cerca 70 parteiras tradicionais.
 A comuna da Amboiva dista 220 quilómetros da cidade do Sumbe.

Formação no Cunene

Cerca de 300 parteiras tradicionais dos municípios de Ombadja, Kwanhama e Namacunde, província do Cunene, terminaram, no último fim-de-semana, um seminário de capacitação sobre a qualidade da assistência ao parto domiciliar, visando evitar mortes maternas infantis. De acordo com o chefe de departamento de saúde pública e controlo de endemias, João Pedro, o seminário, promovido pela direcção provincial da Saúde, com o apoio do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF) e a Organização da Mulher Angolana OMA, capacitou as parteiras tradicionais no sentido de melhorar a assistência medica às populações, a fim de se evitar mortes materna infantil e complicações durante os trabalhos de parto.
Entretanto, salientou que as complicações durante a gravidez e parto constituem as principais causas de doenças e mortes nas mulheres, contribuindo para o aumento da pobreza e a diminuição da qualidade de vida das populações.  Durante três dias, as participantes foram capacitadas em matérias sobre objectivo da superação entre parteiras tradicionais e outras estrutura, higiene alimentar, importância das consultas de obstetrícia, controlo de trabalho, detenção e encaminhamento aos centros de saúde e complicações de parto.
 A rotura uterina, parto prolongo e transversal, deslocamento de placenta e parto prematuro, cuidado de higiene ao recém-nascido normal e prematuro e sua alimentação e higiene, vacinação da mulher grávida, higiene da parturiente no local do parto e o ciclo de vacinação dos bebes foram, dentre outros, os temas abordados.

Tempo

Multimédia