Províncias

Pesquisadores apostam na plantação de árvores

Weza Pascoal | Menongue

Mais de duas mil árvores de eucaliptos, pinheiros, cedros e de frutas diversas vão ser plantadas a curto prazo em algumas artérias da cidade de Menongue pela Associação de Pesquisadores de Ciências da Natureza da Província do Cuando Cubango (APCNCC), uma entidade com fins não-lucrativos cuja direcção foi empossada  na passada sexta-feira.

Fotografia: Edições Novembro

O projecto, denominado “ROSEC”, prevê a criação de polígonos florestais e de espaços verde em quintais de escolas situadas na periferia de  Menongue. O projecto visa amenizar o impacto dos fortes ventos que assolam a região e causam enormes prejuízos às comunidades e às infra-estruturas. 

A  APCNCC,  constituída por estudantes licenciados em Biologia pela Universidade Cuíto Cuanavale,  é vocacionada para a protecção da biodiversidade da província.

A agremiação , segundo o seu presidente, Rosário Isaías, tem uma série de projectos, baseados no seu objecto social,  cuja execução aguarda disponibilidade financeira. “Já enviámos propostas ao Governo e à  classe empresarial da província para materializamos os nossos projectos. Há muito tempo que a cidade de Menongue clama por estas  acções que nos propomos realizar”, afirmou Rosário Isaías. 

A APCNCC, de acordo com o seu responsável, em colaboração com o Governo da província, Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) e com a direcção local do Ambiente, vai realizar campanhas de sensibilização em todas às comunidades da província,  que visam  a redução de acções negativas do homem contra a fauna e a flora. “A associação Já adquiriu  vários instrumentos jurídicos que regulam a acção do homem nas florestas.  Os nossos técnicos estão a estudar os regulamentos jurídicos para aprofundarem os conhecimentos e transmiti-los à sociedade.”, disse Rosário Isaías que acrescentou que a referida Associação  vai trabalhar com os órgãos que intervêm na administração da Justiça no Cuando Cubango “no sentido de punir  todos os cidadãos que forem apanhados a cometer crimes contra as florestas”.  

A APCNCC propõe-se fazer uma inventariação no Parque Nacional do Luengue-Luiana, em Menongue, para conhecer   as espécies de animais que a província possui. O último relatório sobre este parque, divulgado em 1960,  dava conta de que o local tinha uma fauna com cerca de 150 espécies de animais, mas actualmente as autoridades locais calculam a existência de apenas 40 espécies. 


Tempo

Multimédia