Províncias

Polícia investiga morte

Sampaio Júnior | Benguela

O secretário provincial do Sindicado dos Professores (SINPROF) em Benguela foi encontrado morto na sua residência. As causas da morte de Armindo Cambelele ainda estão por apurar, de acordo com o porta-voz da Delegação do Ministério do Interior (MININT), superintendente-chefe Pinto Caibambo.

“As circunstâncias da morte ainda estão por ser esclarecidas. A única coisa que foi feita pelos órgãos dos Serviços de Investigação Criminal foi a remoção do cadáver da residência e recolheram-se os dados preliminares para constituir nos trabalhos de investigação que vão prosseguir”, disse.
O porta voz do MININT afirmou que ainda é cedo avançar com as causas da morte do sindicalista. Segundo a esposa da vítima, Ana do Céu, o companheiro ter-se-á suicidado por volta das 15 horas d sexta-feira, depois de amarrar um cabo no pescoço e suportado no tecto de casa, até sucumbir.
Em consequência disso, há uma onda muita grande de consternação em Benguela pela morte do sindicalista. O  secretário provincial da CASA-CE, Francisco Viena, em reacção no Facebook, disse acreditar que Armindo Cambelele foi vítima de assassinato.
“Acredito que o malogrado tenha sido morto por encomenda, dadas as fortes convicções que caracterizava o único sindicalista na província de Benguela que, de peito aberto, defendeu que os professores fossem tratados com dignidade e respeito pela sociedade”, disse.
Joaquim dos Santos, professor de profissão, alega que a vítima esteve na escola na quinta-feira, onde efectuou a entrega da documentação sobre a greve aos colegas. Armindo Cambele, de 57 anos de idade, deixa viúva e quatro filhos.

Tempo

Multimédia