Províncias

Ponte flutuante liga Calai à Namíbia

Weza Pascoal | Calai

O município do Calai vai passar a dispor, ainda este ano, de uma ponte flutuante sobre o Rio Cubango, com mais de 250 metros de comprimento, que vai facilitar a ligação com a localidade namibiana do Rundu, onde a população adquire os principais bens de consumo, anunciou o governador do Cuando Cubango.

Estão a ser colocadas várias pontes para facilitar a travessia dos rios e servir de mola impulsionadora do crescimento e desenvolvimento
Fotografia: Paulino Damião

O governador Higino Carneiro, que falava durante um encontro com o seu homólogo do Rundu, Samuel Bambu, acrescentou que esta ponte vai facilitar a circulação e as trocas comerciais, além de promover o desenvolvimento bilateral entre Angola e a Namíbia.
No encontro, foi ainda proposta a criação de um grupo de trabalho para preparar um gráfico memorando, onde devem constar os elementos essenciais consubstanciados no acordo bilateral e com os pormenores sobre onde a ponte vai assentar, salvaguardando os aspectos de defesa e segurança dos dois países, com o apoio da Polícia Fiscal, Serviço de Emigração e Estrangeiros, entre outros.

Rundu garante apoio


O governador do Rundu, Samuel Bambu, garantiu total apoio à colocação desta ponte o mais depressa possível, tendo em vista que vai servir de mola impulsionadora do crescimento e desenvolvimento das duas localidades. “A novidade da ponte que vai ser construída é uma boa nova para a população, pois o desenvolvimento das relações entre o Rundu e o município do Calai tem sido muito rápido”
Samuel Bambu disse, por outro lado, que infelizmente as infra-estruturas dificultam a circulação de pessoas e mercadorias, uma vez que a população tem feito a travessia do Rio Cubango de canoa, o que constitui um certo risco.
O governador provincial do Cuando Cubango, Higino Carneiro, visitou o local onde está a ser construído um novo sistema de abastecimento de água potável, na localidade Ndamu Ndamu, cujas obras se encontram a 25 por cento de execução, e verificou a construção de uma escola de 12 salas.
As referidas obras estão enquadradas nos programas do Executivo de combate à fome e redução da pobreza nas comunidades.

Tempo

Multimédia