Províncias

Potência energética aumenta na periferia de Cabinda

Bernardo Capita | Cabinda

Duas subestações eléctricas, com capacidade de produzir 75 megawatts de energia no total , entraram em funcionamento hoje, e vão servir bairros periféricos da cidade de Cabinda.

Energia eléctrica chega a mais bairros na cidade de Cabinda
Fotografia: DR

Os dois empreendimentos, inaugurados pelo governador da província , Marcos Nhunga, no âmbito dos festejos do Dia do Herói Nacional, foram construídos em três anos. Um está localizado na zona do Matadouro, no bairro 1º de Maio e outro na aldeia do Sende. As infra-estruturas constam do Projecto Global de Electrificação e Ligações domiciliares da província de Cabinda, avaliado em 59.999 milhões de dólares.
A subestação do Matadouro produz 50 megawatts de potência de energia de alta tensão, e tem capacidade para transformar até 15 Kva de saída em média tensão, enquanto o empreendimento que está no Sende possui uma capacidade de potência de 25 megawatts para a energia de alta tensão e 30 de saída em média tensão.
Estas subestações vão potenciar e abastecer os habitantes de bairros da cidade de Cabinda, zonas periféricas, região Sul, até a localidade fronteiriça do Yema.
O governador Marcos Nhunga disse que os empreendimentos são uma mais-valia para as populações da cidade de Cabinda, pois, “vão resolver definitivamente os graves problemas que ainda se registam ao nível do sistema de distribuição”.
Marcos Nhunga adiantou que projectos idênticos estão em curso nos municípios de Cacongo, Buco-Zau e Belize, “com o objectivo de reforçar a energia eléctrica que é distribuída às populações do interior”.
O director da Empresa Nacional de Distribuição de Energia (Ende), José Rosa, disse que as duas subestações eléctricas possuem tecnologia de ponta e vão permitir à empresa maior “flexibilidade no que tange a gestão da rede de distribuição”.
Para maior e melhor rentabilidade dos dois equipamentos , José Rosa defende a continuidade de investimentos na rede de baixa tensão, com particular realce na montagem de postos de transformação (PT) e ligações domiciliares. A Ende, segundo o responsável, fornece actualmente energia eléctrica a 60 mil consumidores, uma cifra que poderá aumentar nos próximos dias com as novas ligações domiciliares em perspectiva.

 

 

Tempo

Multimédia