Províncias

Primeiros finalistas defendem monografias

Carlos Paulino | Menongue

Os primeiros 14 estudantes de um grupo de 30 finalistas da especialidade de Biologia, em 2012, na Escola Superior Politécnica de Menongue, afecta à sexta região académica da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, começaram segunda-feira a defender o seu trabalho de fim de curso.

Direcção da Escola Superior enalteceu os temas dos trabalhos apresentados pelos estudantes finalistas para defesa de teses
Fotografia: Lourenço Bule

Durante a semana, os estudantes vão apresentar trabalhos com temas relacionados com a proposta metodológica para a motivação dos alunos, acções educativas que contribuem para um consumo regrado da água potável, conjunto de actividades dirigidas a elevar a motivação pela botânica e actividades educativas dirigidas aos estudantes da 7ª classe para uma sexualidade responsável.
Os estudantes estão ainda a defender, entre outros temas, a doação voluntária de sangue, as relações interdisciplinar entre Biologia e Química e sua importância na escola de formação de professores, proposta educativa para a prevenção das infecções parasitárias, conjunto de actividades dirigidas aos estudantes da 13ª classe de forma a identificarem os cinco reinos biológicos (Monera, Protista, Fungi, Vegetal e Animal).
O representante do reitor da Universidade Mandume Ya N­de­mufayo, José Pereira da Silva, recomendou aos estudantes finalistas no sentido de se considerarem, depois da defesa de teses, como investigadores dignos deste nome, respeitando o estipulado e o exigido pela cátedra e não meros graduados ou licenciados, que apenas exibirão o canudo.
O responsável referiu que para chegar até este marco a escola, aberta em 2009, com apenas 60 estudantes matriculados no curso de Biologia, enfrentou dificuldades de vária ordem, com realce para a falta de verba apropriada, laboratórios, acervo bibliográfico adequado, anfiteatro, pessoal docente angolano e administrativo, meios de transporte para os professores e corpo directivo, auditório para aulas de tronco comum e uma sala de convívio e cantina.
José Pereira da Silva sublinhou que a referida instituição escolar não tinha ainda condições apropriadas para funcionar como uma escola do ensino superior, tal como as outras de referência existentes no país, mas, com o passar dos anos, as dificuldades estão a ser ultrapassadas.
Em função disso, salientou que actualmente a instituição académica conta com 1.307 alunos matriculados nos cursos de Biologia, Matemática, Informática de Gestão Empresarial, Enfermagem geral e Gestão de Turismo. “Para que tal feito fosse possível, contamos com a colaboração do Governo Provincial, que não tem poupado esforços no apoio ao desenvolvimento do ensino superior na província”, disse.

Bons temas

O director da Escola Superior Politécnica de Menongue, Doris Nafilo, enalteceu os temas dos trabalhos apresentados pelos estudantes finalistas para a defesa de teses, tendo avançado que os mesmos são bastante objectivos e vão ajudar o governo local e a direcção provincial da Educação no sentido de melhorar cada vez mais o processo de ensino e a­prendizagem na região.
Doris Nafilo anunciou que está previsto para antes do final deste ano a realização de mais um acto de defesa de teses, estando, neste momento, alguns alunos finalistas do curso de Biologia de 2012 e 2013 a prepararem as suas monografias.
O director referiu que os estudantes que terminarem com uma média superior a 15 valores, vão ser contratados para a categoria de monitores, no sentido de colmatar a carência de quadros docentes que a Escola Superior Politécnica de Menongue ainda enfrenta, sobretudo de angolanos.
Doris Nafilo acrescentou que actualmente as aulas na instituição são asseguradas por 51 professores, dos quais 46 cubanos, três vietnamitas e apenas dois angolanos.

Tempo

Multimédia