Províncias

Processo de alfabetização apresenta bons resultados

Jesus Silva | Lobito, Casimiro José | Sumbe e José Rufino | Luena

O vice-governador da província de Benguela, Victor Moita, disse terça-feira, na Missão Católica de Santo António, no município de Catumbela, que o Governo da província está apostado na erradicação do analfabetismo, para diminuir os níveis de pobreza, elevar o desempenho laboral, melhorar as condições de saúde e a contribuição dos cidadãos no desenvolvimento económico e social do país.

Governo pretende dinamizar o processo nas zonas rurais com incidência para as mulheres tendo em conta a gestão da economia doméstica
Fotografia: Jesus Silva | Lobito

Segundo Victor Moita, desde 2007, foram alfabetizados na província 367.151 cidadãos, dos quis 264.186 do sexo feminino. No presente ano lectivo encontram-se a estudar 111.524 alfabetizandos, dos quais 67.691 do sexo feminino, assistidos por 2.221 alfabetizadores, sendo 439 voluntários, distribuídos em todos os municípios.
O Governo pretende dinamizar o processo, numa relação estreita com as administrações municipais, principalmente nas zonas rurais, com incidência para as mulheres, tendo em conta a gestão da economia doméstica, planeamento familiar, educação dos filhos e saúde materno-infantil.
Na óptica de Victor Moita, as direcções municipais de Educação e das escolas do ensino primário devem garantir a continuidade dos estudos de todos os alfabetizados, até à conclusão do ensino de base obrigatório. O vice-governador exortou a sociedade civil a apoiar a luta contra o analfabetismo, nas famílias e comunidades.
Por sua vez, Marcelina Vieira Tchimbinda, em nome dos alfabetizadores, solicitou à Direcção Provincial de Benguela da Educação maior apoio em material didáctico, acções de formação e instalações de ensino adequadas.

Cuanza Sul no bom caminho


O vice-governador do Cuanza Sul para o Sector Económico, Franklin Fortunato e Silva, reconheceu terça-feira na comuna do Quicombo que foram alcançados bos resultados com a massificação do processo de alfabetização em comunidades da província.
Ao intervir no acto provincial do Dia Internacional da Alfabetização, afirmou que, com a alfabetização, a sociedade angolana afirma-se todos os dias no equilíbrio de género, inclusão social e exercício da cidadania. A província do Cuanza Sul tem matriculados 50.034 alfabetizandos, dos quais 34.600 do sexo feminino.
Fortunato e Silva referiu como desafios nos próximos tempos a inclusão no processo de alfabetização dos pacotes sobre educação ambiental, defesa da biodiversidade e outras matérias que complementam a realidade das comunidades.
Numa mensagem, os alfabetizandos manifestaram satisfação pelo facto de o Executivo e parceiros sociais continuarem a apostar no processo de alfabetização.

Moxico em alta

Na província do Moxico, pelo menos 149.648  pessoas foram alfabetizados, desde o início do Programa de Aceleração Escolar, em 2012, disse ao Jornal de Angola o  seu coordenador. Deste número, dez mil estão a frequentar o primeiro e segundo ciclos do ensino secundário.
Aberto Sambongue salientou que neste ano 119.774 pessoas frequentam as aulas de alfabetização, inscritos nos módulos 1, 2 e 3 e no método “Sim eu posso”.
Para o êxito do processo, foram criadas 28 redes de alfabetização, totalizando 941 alfabetizadores, incluindo facilitadores, supervisores e 295 voluntários. O Programa de Aceleração Escolar, acrescentou, é desenvolvido em 191 salas nas comunas e aldeias.
A vice-governadora do Moxico para o Sector Político e Social, A­driana Cacuassa, defendeu o reforço das acções de sensibilização no âmbito dos programas de alfabetização e a superação académica das crianças com atraso escolar.

Tempo

Multimédia