Províncias

Professores capacitados sobre empreendedorismo

Lourenço Bule | Menongue

Professores do primeiro e segundo ciclos dos municípios de Menongue e Cuchi, na província do Cuando Cubango, estão melhor preparados em matéria ligada ao empreendedorismo no ensino, ao participarem numa acção formativa.

Cadeira de empreendedorismo foi introduzida em todo o país há sete anos e no Cuando Cubango foram formados dezenas de professores
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue-Edições Novembro

Promovida pelo Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento da Educação (INIDE), a acção formativa teve como propósito melhorar o desempenho dos docentes na transmissão de conhecimentos nas escolas.
Ministrada pelas formadores do INIDE, Ana Bela Ricardo e Helena Fernandes Jardim, durante o ciclo formativo abordaram temas sobre os métodos de ensino e a avaliação em matérias de empreendedorismo, plano empreendedor e orientação para identificação de oportunidades empreendedoras.
O director provincial da Educação em exercício, Benjamim Manuel Nguejia, explicou que a disciplina de empreendedorismo traz múltiplas vantagens na vida dos estudantes e das comunidades, sobretudo nesta fase de crise económica, onde qualquer iniciativa inovadora pode resultar na obtenção de receitas.
O responsável disse ser importante que os docentes que estão a ministrar aulas nesta cadeira estejam bem preparados e capacitados, por forma a partilhar e aumentar os conhecimentos dos alunos, dada a sua importância e influência noutros sectores da vida social e económica do país. Sustentou que a formação dirigida aos docentes circunscreve-se nos objectivos que visam potenciar os professores em matérias de empreendedorismo, para que a actividade educativa, nesta área do saber, seja coroada de êxitos. A cadeira de empreendedorismo foi introduzida no primeiro e segundo ciclos de ensino em todo o país, a partir de 2010, mas no Cuando Cubango teve início apenas em 2014. Actualmente foram já formados 50 professores nesta disciplina, que tem vindo a produzir resultados satisfatórios, a julgar pelas realizações e invenções dos alunos. 
De acordo com Benjamim Manuel Nguejia, o sector da Educação na província considera o ensino do empreendedorismo como uma alternativa que, referiu, desde a sua implementação no país, tem  contribuído para a mudança de atitude das pessoas, no modo de agir e multiplicar desafios na vida social, política, económica e cultural. Os programas de empreendedorismo, segundo o responsável, exigem que haja professores altamente capacitados para que as matérias sejam transmitidas com rigor, para que os alunos possam absorver rapidamente os conhecimentos e colocar em prática tudo aquilo que aprenderam ao serviço das populações ou da comunidade em que estão inseridos.

Salários condignos

Os formandos recomendaram mais acções do género para permitir o envolvimento de outras instituições públicas e privadas na aprendizagem da disciplina, para que a sua aplicação, nos mais variados domínios da vida social e económica do país, seja mais proveitosa.
Disseram ser importante que se valorize e se estimule os coordenadores das disciplinas de empreendedorismo, promovendo-os nas devidas categorias, para que possam usufruir de ordenados de acordo com o esforço aplicado no exercício das suas funções.
Os professores pediram que haja um maior rigor nas escolas do primeiro e segundo ciclos na indicação de colegas que são seleccionados para frequentarem acções formativas.
Consideram ser fundamental o acompanhamento destes para que no final de cada curso apresentem uma síntese que deve ser afixada na vitrina, por forma a garantir e comprovar a sua integral formação.

Tempo

Multimédia