Províncias

Professores formados em empreendedorismo

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Mais de 40 professores da província do Zaire estão, desde o final de semana, em condições de leccionar a disciplina de empreendedorismo, na sequência de uma acção formativa acelerada.

Aumenta o número de docentes em condições de dar aulas de empreendedorismo
Fotografia: Fernando Neto | Edições Novembro | Mbanza Kongo

Durante cinco dias, a acção de capacitação na disciplina de empreendedorismo juntou, na cidade de Mbanza Kongo, professores de escolas do I e II ciclos do ensino secundário, oriundos dos seis municípios da província do Zaire.
A acção formativa foi conduzida pelas formadoras Dácia da Conceição e Isel Isabel Epalanga, visando generalizar a disciplina de empreendedorismo em todo o território nacional.
A ideia fundamental do projecto é prestar auxílio aos alunos no sentido de terem uma visão diferente, em relação às oportunidades de negócio, para melhorar a condição financeira das famílias.
A formação, entre outras finalidades, visou igualmente propiciar competências notáveis no ramo do empreendedorismo, permitindo deste modo ao jovem adquirir melhor qualidade de vida. Os formandos receberam conhecimentos sobre empreendedorismo e trabalho, oportunidades e gestão empreendedoras, leccionadas com uma metodologia de planificação e simulação de trabalho em aulas.
“Durante o segundo semestre do ano lectivo seria o momento oportuno para se começar a leccionar o empreendedorismo nas escolas onde ainda não está implementada esta disciplina”, disse André Gouveia Gomes, responsável do Departamento do Ensino no Zaire, acrescentando que os manuais distribuídos são suficientes.
Os estudantes consideram que a educação joga um importante papel no desenvolvimento das sociedades, sem a qual será difícil alcançar, com êxito, as metas preconizadas na vida política, económica e social do país.
“Sentimo-nos congratulados pelos esforços empreendidos pelos facilitadores, por terem fornecido mais conhecimentos e habilidades sobre empreendedorismo e espírito empreendedor”, disse um dos jovens.
Para a melhor expansão desta disciplina nas comunas e aldeias, os jovens defendem o aumento do material didáctico e meios audiovisuais, conforme as metodologias aplicadas na formação.

Tempo

Multimédia