Províncias

Projectos sociais em fase de arranque na Conda

Casimiro José| Sumbe

O administrador municipal adjunto da Conda, Germano Armando, garantiu que vão ser executados sete projectos sociais durante o primeiro trimestre deste ano, dos 20 planificados para o ano económico de 2010.

A estação de captação e tratamento de água está a ser reequipada para melhorar a distribuição à população
Fotografia: Casimiro José

O administrador municipal adjunto da Conda, Germano Armando, garantiu que vão ser executados sete projectos sociais durante o primeiro trimestre deste ano, dos 20 planificados para o ano económico de 2010, no quadro do programa do fundo à gestão municipal.
Germano Armando afirmou que o atraso verificado na libertação da verba no ano transacto, devido à revisão do Orçamento Geral do Estado (OGE), inviabilizou a implementação do programa, situação que levou a administração municipal a replanificar e a transferir a maior parte dos projectos para este ano.
Apesar dos constrangimentos resultantes dos atrasos na disponibilização de verbas, a administração municipal da Conda executou dois projectos com acções que incidiram na aquisição e montagem de uma electro-bomba na central de captação e distribuição de água potável, montagem de um quadro eléctrico na central de distribuição da corrente eléctrica, reabilitação do reservatório de água e formação de técnicos e quadros da administração para a sua adequação à Lei 2/2007.
Segundo o administrador adjunto, os custos fazem parte dos 43 milhões e 937 kwanzas disponibilizados o ano transacto e o saldo vai cobrir as despesas da primeira fase de execução dos sete projectos durante o primeiro trimestre do corrente ano, compreendendo a reabilitação do cemitério municipal, reparação de passeios e lancis, ampliação e apetrechamento do posto médico da comuna do Cunjo.
A administração municipal da Conda tem ainda em carteira, para este ano, a ampliação do sistema de iluminação pública na sede, reabilitação do reservatório de água do bairro Imbungú, recuperação e apetrechamento da residência do administrador municipal, reabilitação do centro turístico da piscina, do parque infantil e da escola primária nº138, todos na sede municipal. Outras acções prendem-se com a reparação da via que dá acesso à vila da Conda, numa extensão de 27 quilómetros, e respectivas pontes.
Germano Armando fez uma avaliação positiva das acções já executadas e garantiu que as populações começaram já a sentir o impacto das mesmas naquilo que constitui as suas principais preocupações. “Temos uma visão optimista quanto às acções que realizámos no ano transacto e, para 2010, vamos redobrar esforços, principalmente na reparação da via que dá acesso à nossa vila e à comuna do Cunjo, para estimularmos os investidores e garantir a circulação de pessoas e bens”, disse, acrescentando que para tal tudo vai depender da celeridade da aprovação de verbas por parte do órgão encarregue dos fundos para a gestão municipal.
Entretanto, para a execução dos diferentes projectos foram já contratadas as empresas de construção civil e de prestação de serviços: “Major Alves – Construções”, “Fera Ferida – Construções”, “Bigitex, Lda”, “JM-Comercial”, “Construções Corupre, Lda” e “Lino Melo&Filhos, Lda”, todas elas de direito angolano.
 
Sectores da Saúde e da Educação
 
Os sectores da Saúde e da Educação do município da Conda enfrentam dificuldades conjunturais, mas as autoridades locais trabalham afincadamente para responderem às necessidades dos munícipes. O único centro hospitalar em funcionamento no município tem capacidade de internamento 45 camas e conta com um corpo clínico de dois médicos, sendo um nacional e outro estrangeiro, e 29 enfermeiros de diversos escalões. A rede sanitária a nível do município conta com um centro hospitalar e 19 postos de saúde, número muito aquém das necessidades das populações.
De acordo com as autoridades, o município da Conda regista frequentemente casos de paludismo, infecções urinárias, doenças respiratórias e diarreicas agudas, anemia, amigdalite, conjuntivite, gastrites, cistites, parasitoses intestinais e, em menor escala, hipertensão arterial.
Outra contrariedade no sector da saúde é a falta de equipamentos e estruturas para os serviços de cirurgia e radiologia, estando o centro hospitalar a prestar serviços de medicina geral, pediatria e programa alargado de vacinação (PAV).
O sector da educação registou no ano transacto seis mil crianças fora do sistema normal de ensino, por falta de escolas e de professores. A rede escolar é composta por 28 escolas, sendo 27 para o ensino primário, das quais a maior parte de construção precária, e uma para o primeiro ciclo do ensino secundário. No ano passado, frequentaram as escolas um total de 18.153 alunos e estiveram em plenas funções 422 professores.
Para o presente ano, de acordo com as autoridades, são necessários mais 135 professores para colmatar as carências que se fazem sentir no sector.
 
Agricultura e pecuária
 
Segundo o administrador municipal adjunto, a queda regular de chuvas na região indicia um ano agrícola muito animador e para a campanha de 2009/2010 estão planificados 26,7 hectares de terras que estão a ser preparados pela empresa de mecanização agrícola, Mecanagro.
O sector do café também consta das prioridades do executivo, estando em preparação 18.2 hectares, dos quais 5,2 a serem distribuídos a 62 cafeicultores da região. A população animal é composta por 14.933 cabeças, entre gado bovino, caprino, suíno e ovino.
 
Comércio e turismo

 
Apesar do potencial turístico que o município da Conda ostenta, os centros de lazer estão em acentuado estado de degradação, o que condiciona a sua rentabilização.
O administrador adjunto revelou ao Jornal de Angola que está em curso um plano de reabilitação faseada dos referidos centros, a começar pelo centro turístico da piscina.
O município conta com seis centros turísticos, nomeadamente, “Cachoeiras da Binga”, “Tocota”, “Piscina do Ungelo”, “Tocota do Nhime”, “Chimandala” e “Fazenda Waldemar”. O sector do comércio é ainda tímido, devido ao estado de degradação da via que dá acesso à vila, mas algumas iniciativas vão vingando na oferta de bens e serviços às populações. Aliado a estas iniciativas, a rede do “Presild” está a construir a primeira loja “Nosso Super”, encontrando-se em estado de pré-conclusão.
O município da Conda tem uma superfície de 2.090 quilómetros quadrados e possui cerca de 80 mil habitantes que vivem, maioritariamente, da agricultura.
Administrativamente está dividida em duas comunas, sede e Cunjo, e duas áreas administrativas: de Assango II e Jombe.

Tempo

Multimédia