Províncias

Projectos sociais melhoram Gungo

Carlos Bastos| Sumbe

O administrador comunal do Gungo disse, na segunda-feira, ao Jornal de Angola, que os projectos em execução, no quadro dos programas do Fundo de Gestão Municipal e de Melhoria e Aumento da Oferta de Serviços Socais Básicos à População, estão a melhorar o nível de vida local.

Estão a ser erguidas na região várias infra-estruturas de impacto social, com destaque para escolas e centros de saúde
Fotografia: Casimiro José

O administrador comunal do Gungo disse, na segunda-feira, ao Jornal de Angola, que os projectos em execução, no quadro dos programas do Fundo de Gestão Municipal e de Melhoria e Aumento da Oferta de Serviços Socais Básicos à População, estão a melhorar o nível de vida local.

 Matias Francisco referiu como exemplos da melhoria de vida da população, a construção da sede administrativa da comuna, de um centro de saúde, a aquisição de grupos geradores, a reabilitação da rede de distribuição de energia eléctrica e os trabalhos de recuperação do sistema de fornecimento de água potável.
 O administrador também salientou o facto de combustíveis e lubrificantes serem recebidos com regularidade, o que garante o funcionamento do sistema de fornecimento de energia.
 O grande constrangimento, salientou, prende-se com o abastecimento de água, em função do baixo nível da cacimba, principalmente no Cacimbo, o que vai obrigar à perfuração de mais poços.
 O governo provincial, revelou, pensa fazer um novo centro de captação, aproveitando o rio Cambongo, que passa a 15 quilómetros.
 A degradação das vias de acesso, disse, são o principal obstáculo ao desenvolvimento do comércio na comuna, pelo que as acções futuras vão incidir na sua reparação para impulsionar o comércio rural e permitir o escoamento dos produtos agrícolas.  Matias Francisco lembrou que a sede da comuna está num ponto privilegiado, a 35 quilómetros da Estrada Nacional 100, que liga o Sumbe e o Lobito, que depois de recuperada vai atrair potenciais investidores à região.
 
Sector da educação

 
O sector da Educação, afirmou, ainda passa por enormes dificuldades, mas todos os anos há melhorias, de que é exemplo a escola, com seis salas de aulas, que está a ser construída.
 No presente ano estão matriculados, no ensino primário, 2.732 alunos. A comuna tem 91 professores, mas, referiu o administrador, são precisos mais 28.
Por falta de salas e de professores há 1.123 crianças  fora do sistema de ensino.
  A comuna tem 13 escolas, distribuídas pelas localidades da Tuma, zona do Gambaueco, Ambande e sede, onde há salas de construção definitiva, que precisam de ser reabilitadas.

Comércio

O comércio é ainda tímido devido ao estado de degradação da estrada que dá acesso ao Gungo. Há dois comerciantes, na parte nordeste da comuna.  A população de outras zonas é obrigada a percorrer longas distâncias para adquirirem produtos básicos.
 A comuna, a 120 quilómetros do Sumbe”, tem cerca de 2.200 quilómetros quadrados e, aproximadamente, 121 mil habitantes, maioritariamente camponeses, que produzem, sobretudo, milho, feijão, hortícolas e citrinos.

Tempo

Multimédia