Províncias

Pulverizadas milhares de casas

O Departamento Provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias pulverizou, este mês, com insecticidas, na cidade do Lubango, 7.895 casas, no âmbito da quinta fase da campanha inter domiciliária do Programa de Luta Contra a Malária.

O Departamento Provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias pulverizou, este mês, com insecticidas, na cidade do Lubango, 7.895 casas, no âmbito da quinta fase da campanha inter domiciliária do Programa de Luta Contra a Malária.
Os bairros da Mitcha, João de Almeida, Calumbiro e Lalula e os arredores da cidade foram as áreas contempladas.
A campanha tem sido, em parte, prejudicada pelas chuvas dos últimos dias e por algumas pessoas não permitirem que se desinfectem as casas. O supervisor provincial do Programa de Luta Contra a Malária referiu que a meta é atingir, até Dezembro, 54 mil casas no Lubango.
Martinho Samandginga considerou que o número de casas tratadas está abaixo do previsto, já que a ideia era pulverizar 25 mil.
Sobre o início da campanha no município da Chibia, onde se prevê desinfectar seis mil casas, disse que o processo deve começar em Novembro.
Até ao fim do ano, frisou, pretende-se desinfectar, ao todo, no Lubango e na Chibia, 60 mil ­casas.
A operação é realizada por 210 técnicos, dos quais 171 são agentes de pulverização e 29 chefes de brigadas. A campanha, orçada em 200 mil dólares, é financiada pelo Governo dos Estados Unidos.

Mosquiteiros impregnados
 
Dois mil e 500 mosquiteiros impregnados foram distribuídos, de Janeiro a Setembro deste ano, no município do Cuvango, a 356 quilómetros a Sul do Lubango, província da Huíla, pela secção municipal da Saúde, no âmbito do programa de luta contra a malária, levado a cabo pelo governo.
 O supervisor do programa de luta contra a malária na circunscrição, Mário Ntyamba, disse que as redes mosquiteiras foram entregues a mulheres grávidas e a crianças menores de cinco anos.
 Mário Ntyamba disse que os mosquiteiros foram distribuídos nas três comunas que compõem a circunscrição (Galangue, Vicungo e sede), na perspectiva de se diminuir os casos da doença e mortes.
 Informou que, neste momento, a repartição de saúde encontra-se a aguardar por uma quantidade não especificada de outros mosquiteiros que serão entregues as populações, no âmbito do mesmo programa.  No período em referência, disse o responsável, foram registados 36.357 casos de paludismo, resultando em 43 óbitos, a nível das 14 unidades sanitárias existentes na localidade.
 Cuvango possui uma população estimada em 66.910 habitantes, que vivem, essencialmente, da agricultura e criação de gado.

Tempo

Multimédia