Províncias

Ravina ameaça interromper circulação rodoviária

Justino Victorino | Huambo , Afonso Belo e Sérgio V. Dias | Cunhinga

A circulação rodoviária entre as localidades de Londuimbali (província Huambo) e Lobito (Benguela) pode estar interrompida nos próximos tempos caso se registe a mesma progressão de uma ravina, agora de um metro e meio, revelou quinta-feira o vice-governador provincial para o sector Técnico e Infra-estruturas.

Autoridades continuam a desenvolver acções com vista a estancar as ravinas que colocam em risco várias infra-estruturas sociais da província
Fotografia: Eduardo Pedro

Francisco Calunga Quissanga informou que outras ravinas com as mesmas proporções podem colocar em perigo também os postos de alta tensão do sector do Ngove, no município da Caála.
O vice-governador do Huambo avançou que Governo está a desenvolver algumas acções com vista a estancar as ravinas, que estão a colocar em risco várias infra-estruturas da região, tendo referido que “muitas destas intervenções são de âmbito central”.
Calunga Quissanga acusou algumas comunidades de terem sido as responsáveis pelo surgimento de certas ravinas, a partir do momento em que desviaram linhas de água para se protegerem das correntezas nesta época de chuvas.
O Governo tem estado atento à situação, fundamentalmente no percurso Huambo/Caála, que já sofreu muitas intervenções.
Devido à magnitude do problema, a sua intervenção é de âmbito central, embora esteja em curso a nível da província o projecto de contenção de ravinas de pequenas proporções, para facilitar a circulação de pessoas e bens.  Ravinas que se alastram em diferentes direcções ameaçam destruir mais de 100 casas já habitadas das 200 previstas no projecto habitacional do município do Cunhinga, cerca de 30 quilómetros a norte do Cuito. As ravinas ganham grande progressão ultimamente em consequência das fortes chuvas que se abatem sobre a cidade do Cuito.
Uma equipa técnica acompanhada pelo governador do Bié, Álvaro Boavida Neto, deslocou-se ao local e realizou um estudo no sentido de conter a sua progressão. O vice-governador do Bié para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, José Fernando Tchatuvela, disse que o caso já foi encaminhado para as estruturas centrais, no sentido de uma intervenção de fundo.
O Governo Provincial do Bié pretende envidar todos os esforços para combater a progressão das ravinas e evitar que estas provoquem a destruição das várias habitações, erguidas no âmbito do programa dos 200 fogos por município e cortem a circulação na Estrada Nacional 250.
A Estrada Nacional permite ligar o município do Cunhinga ao Andulo e Mussende (Cuanza Sul), ressaltou o vice-governador José Tchatuvela. Para evitar o desabamento das casas, numa primeira fase, o Governo vai proceder à abertura de três valas, no sentido de facilitar o escoamento das águas das chuvas, fazer a reposição dos solos e a sua compactação.
Quanto à ravina, que se alastra para a Estrada 250, o vice-governador disse que a empresa contratada para a reabilitação da via vai construir uma ponte hidráulica para a vazão das águas de um lado do pavimento rodoviário para outro.
O Governo já informou as estruturas centrais para que se efectue um trabalho de carácter definitivo.

Tempo

Multimédia