Províncias

Reabilitação das principais estradas começa este ano

As obras de reabilitação dos troços rodoviários Caiundo/Catuitui, Cuangar/Calai/Dirico/Mucusso e Cuíto Cuanavale/Mavinga, num percurso de cerca de 800 quilómetros, vão arrancar ainda este ano.

Nesta época chuvosa é constrangedor circular de carro em várias regiões da província
Fotografia: Nicolau vasco | Edições novembro | cuando cubango

As obras de reabilitação dos troços rodoviários Caiundo/Catuitui, Cuangar/Calai/Dirico/Mucusso e Cuíto Cuanavale/Mavinga, num percurso de cerca de 800 quilómetros, vão arrancar ainda este ano. A informação foi avançada pelo governador provincial, Júlio Bessa, durante a visita de 11 dias aos municípios de Nancova, Mavinga, Dirico, Rivungo, Calai e Cuangar, onde apresentou às populações os administradores municipais recém-nomeados.
O governante disse que os referidos projectos “já foram aprovados a nível do Governo Central”, aguardando-se apenas pela disponibilidade dos recursos financeiros para o início das obras.
Júlio Bessa recordou que o mau estado dos troços Caiundo/Catuitui, num percurso de 202 quilómetros, localizados na Estrada Nacional (EN) 140, Cuangar/Calai/Dirico/Mucusso, numa distância de cerca de 300 quilómetros (EN-295) e Cuíto Cuanavale/Mavinga, num trajecto de 202 quilómetros, constituem o principal empecilho para o crescimento socioeconómico da província .
“Estamos a envidar esforços junto do Governo Central, em particular do Ministério da Construção e Obras Públicas, para que as obras de reabilitação destes eixos-viários arranquem o “mais rapidamente possível”, disse.
Para Júlio Bessa, enquanto não houver planos para a reabilitação da estrada Cuíto Cuanavale/Nancova, Nancova/Dirico e Caiundo/Catuitui/Calai/Dirico/Mucusso, tem de se viabilizar a circulação de pessoas e mercadorias por via fluvial, através dos rios Cuando e Cubango que oferecem excelentes condições para navegação de embarcações de pequeno e médio portes.
Para a materialização destes projectos, frisou o governador, é necessário também reformular-se o plano de desminagem da província, por existirem ainda muitas zonas minadas, principalmente nas áreas onde serão executadas as obras de reabilitação de estradas.

Tempo

Multimédia