Províncias

Reabilitação de nó rodoviário acelera viagem para Cunhinga

José Chaves | Cunhinga

A reabilitação do troço entre Cuito e Cunhinga, numa distância de 30 quilómetros,  facilita a circulação rodoviária, encurtando  o tempo de viagem, de seis horas para apenas 25 minutos.

Troço de 30 quilómetros de estrada faz parte de um eixo considerado fundamental para o escoamento dos produtos agropecuários
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

As obras de reabilitação do troço   estão em fase de conclusão e  permitem que a circulação rodoviária seja mais fluida.  O Jornal de Angola percorreu os 30 quilómetros e constatou que os trabalhos decorrem de forma acelerada, estando parte do troço a receber asfalto, faltando apenas poucos quilómetros para atingir a sede provincial.
As obras estão a cargo da empresa de construção de estradas Planasul. Os trabalhos consistem na reconstrução geral da estrada, colocação de pavimento de betão betuminoso, aplicação de  passagens hidráulicas para escoamento da água das chuvas e construção de uma passagem de nível na entrada da vila.
O troço  de 30 quilómetros de estrada  faz parte de um eixo considerado fundamental para o escoamento dos produtos agropecuários do campo para a cidade.
O projecto compreende a reabilitação do pavimento, terraplenagem, asfaltagem, reparação e alargamento de estruturas de drenagem, com melhoria na sinalização vertical e horizontal. Severino Satula,  motorista de uma empresa privada de transporte de passageiros,  afirmou que a reabilitação do troço   facilita  o trânsito e vai diminuir os  acidentes. Para ele, a nova estrada vai ajudar não só os automobilistas mas também os cidadãos que vivem entre Cuito e Cunhinga. /> “Hoje, com a reabilitação da via,  já viajamos à vontade, ao contrário do que acontecia anteriormente,  uma vez que devido ao mau estado da estrada tínhamos muitos problemas com as nossas viaturas”, explicou, para reconhecer o empenho do Executivo na reabilitação e construção de novas estradas, que vão ligar todo o país.
Bartolomeu Domingos Londaca,  outro camionista, que faz com regularidade o trajecto Cuito-Cunje-Cunhinga, diz estar satisfeito com a obra de reabilitação do troço, por ser, neste momento, a via que maior segurança oferece aos veículos ligeiros e pesados.

Reabilitação da estrada

Celestina Cangologolo, jovem negociante no mercado do Chissindo,  pediu às empresas encarregadas da obra para acelerarem o processo de reconstrução do troço e afirmou acreditar que, com a estrada reabilitada, o preço da viagem possa ser reduzido, uma vez que os taxistas deixam de ter a desculpa de cobrar muito por causa do mau estado da via. “Se o preço vai baixar ou não depende dos próprios taxistas, mas acho que têm de baixar”, explicou Celestina Cangologolo.
Os camponeses e criadores de gado das aldeias próximas da estrada elogiaram as autoridades pela reabilitação da estrada, que vai facilitar o acesso à sede da província e impulsionar  os interessados em comprar os produtos do campo.

Tempo

Multimédia