Províncias

Recém-formados estão empregados

Pelo menos 30 finalistas do Instituto Médio de Economia do Lubango (IMEL), província da Huíla, foram inseridos no mercado de emprego, nos últimos três meses, à luz de um acordo entre a instituição e algumas empresas locais, entre públicas e privadas.

O Instituto forma técnicos de Administração Pública, Contabilidade, Gestão e Secretariado
Fotografia: Jornal de Angola

Pelo menos 30 finalistas do Instituto Médio de Economia do Lubango (IMEL), província da Huíla, foram inseridos no mercado de emprego, nos últimos três meses, à luz de um acordo entre a instituição e algumas empresas locais, entre públicas e privadas.
O dado foi avançado terça-feira, à Angop, no Lubango, pelo director do projecto de inserção de estudantes, Alberto Ximenes, que disse ter havido um aumento de dez, em relação ao mesmo período de 2009.
O responsável explicou que, nesse período, foram inseridos no mercado de trabalho finalistas dos cursos de Administração Pública, Estatística, Contabilidade e Gestão e Secretariado.
Esses jovens, precisou, fizeram um curto estágio antes de serem admitidos por empresas públicas e privadas.
Disse pretenderem com o projecto facilitar a inserção de jovens recém-formados no mercado de emprego, no âmbito do novo sistema de reforma técnicoprofissional, em curso no país desde 2007.
“Esta direcção já avançou contactos com algumas empresas públicas e privadas, para autorizarem a entrada dos nossos finalistas para estágio. Os que tiverem maior nota poderão realmente ser recrutados e ganhar o seu primeiro emprego”, referiu. Alberto Ximenes sublinhou, por outro lado, que o Gabinete de Inserção na Vida Activa (GIVA), afecto ao Imel do Lubango, está a levar a cabo uma actividade de pesquisa, incluindo visitas e contactos em empresas locais, dispostas a receber novos funcionários qualificados.
Desde a sua implementação, em 2006, o GIVA facilitou o emprego directo de pelo menos 50 finalistas.

Tempo

Multimédia