Províncias

Redução de casos de fuga à paternidade

Um total de 369 casos de fuga à paternidade foram registados na província de Benguela no ano findo, menos 27 ocorrências do que em 2017, informou à Angop a directora interina do Instituto Provincial da Criança, Sara Pedro. 

Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

A responsável disse que no referido período foram mediados, aconselhados e advogados 485 actos relacionados à violência contra criança, menos 12 em relação a 2017, em que os prevaricadores, na sua maioria, foram efectivos das Forças Armadas Angolanas, Polícia Nacional e trabalhadores da Educação. 
Ainda em 2018, registaram-se 29 casos de disputa da guarda e cuidado dos filhos, cinco de abandono de bebés, 48 de negligência parental, 11 ofensas corporais simples, 13 tentativas de abuso sexual e 10 de abuso sexual. 
Sara Pedro informou que no mesmo período, o Instituto da Criança  na província advogou junto das conservatórias e lojas de registos civil da comarca de Benguela, Catumbela, Lobito e Baía Farta, conseguindo obter 845 declarações para o registo de nascimento de crianças órfãs e que os pais se encontram
em parte incerta. 
De acordo com Sara Pedro, para diminuir os casos de violência contra a criança, foram realizadas palestras, visitas a diversas instituições estatais e privadas e campanhas de sensibilização com o envolvimento de famílias.


Tempo

Multimédia