Províncias

Reprovada construção anárquica de habitações junto ao aeroporto

O governador da província de Cabinda, Mawete João Baptista, reprovou sexta-feira a “teimosia” dos munícipes, que, apesar de advertidos, continuam a construir anarquicamente na área abrangida pelo alargamento da cabeceira da pista do aeroporto local.

Tolerância zero às construções anárquicas junto ao aeroporto de Cabinda
Fotografia: Jornal de Angola

O governador da província de Cabinda, Mawete João Baptista, reprovou sexta-feira a “teimosia” dos munícipes, que, apesar de advertidos, continuam a construir anarquicamente na área abrangida pelo alargamento da cabeceira da pista do aeroporto local.
Mawete João Baptista, que falava no termo de uma visita de campo aos arredores da cidade de Cabinda, apelou à consciência dos munícipes, a fim de facilitarem a execução das obras em curso na província, no quadro do programa de reconstrução nacional, tendo em vista o desenvolvimento e o bem-estar social das populações.
Quanto ao destino a dar às populações que construíram no perímetro abrangido pelo alargamento da cabeceira do aeroporto, o governador sublinhou a necessidade de se prepararem as condições para que a parte problemática do aeroporto conheça um novo desenvolvimento, pela via da transferência das populações para outras áreas.
Durante a jornada de campo, o governador visitou as obras de combate às ravinas, das vias terciárias da cidade capital da província, algumas das quais intransitáveis desde 1990, como a que liga os bairros Amílcar Cabral e Lombe.
Das vias terciárias a serem terraplanadas pela empresa Menga Engenharia destacam-se as de Tchizo/São Pedro, Chibodo/Santa Catarina, Chiweca/1º de Maio, numa extensão de 17 quilómetros.

Tempo

Multimédia