Províncias

Residências sociais prontas em breve

Pedro Bica| Caxito

O projecto das 92 casas sociais para a juventude do município do Dande, na província do Bengo, decorre a bom ritmo. As casas podem ser inauguradas ainda no primeiro trimestre do ano em curso.

Jovens da província do Bengo ganham direito a novas moradias no âmbito do programa de urbanismo e habitação
Fotografia: Jornal de Angola

O projecto das 92 casas sociais para a juventude do município do Dande, na província do Bengo, decorre a bom ritmo. As casas podem ser inauguradas ainda no primeiro trimestre do ano em curso.
Neste momento decorrem trabalhos que consistem no arruamento, iluminação domiciliar e pública, água potável, colocação de telhas e o reboco de doze casas.
Segundo o director provincial da Juventude e Desportos em exercício, João Francisco “Macumona”, até ao momento apenas 30 jovens apresentaram requerimentos para se candidatar à compra de casas.
João Francisco revelou que a fraca adesão dos jovens tem a ver, em grande medida, com a exigência do pagamento da primeira percentagem, fixada em 10, 20 e 30 por cento, respectivamente.
Outro grande problema reside no facto de muitos beneficiários estarem a pouco menos de cinco anos enquadrados na Função Pública e numa carreira técnica base, média e auxiliar, com um salário não compatível para a obtenção de crédito à habitação. O responsável informou que nos últimos dias tem aconselhado os cônjuges a pouparem os seus ordenados mensais, para poderem cumprir com o requisito que a lei estabelece para a concessão da residência.
Indicou, por outro lado, que, tendo em conta as expectativas iniciais, em relação à candidatura de um número maior de jovens sem residências, a forma de entrega das casas vai ser aleatória, através de uma rifa. Quem rifar uma casa vai automaticamente poder assinar o contrato com o Banco de Poupança e Crédito (BPC) e fazer as suas amortizações num período de 20 a 25 anos, dependendo do tipo de habitação que escolher.

Condições de acesso

Para ter direito a uma moradia no projecto, o jovem deve ter esposa, ainda que não sejam casados, e possuir 23 a 35 anos de idade, e pode pagar valores que variam entre os 200 e os 250 dólares por mês.
A par disso, João Francisco adiantou que é aberta uma excepção para os jovens que participaram na luta de libertação nacional e desmobilizados, atendendo ao longo conflito armado que assolou o país. “Se não nos preocuparmos com estes jovens de mérito, não estaríamos a reconhecer os seus esforços empreendidos em prol da garantia e salvaguarda da Pátria e a manutenção da paz”, sublinhou. O projecto tem continuidade nos outros sete municípios da província do Bengo, tão logo seja aberta a primeira fase.
No decorrer do ano transacto, os oito municípios que compõem a região beneficiaram do projecto de auto-construção dirigida, que contempla um total de 125 jovens, sobretudo das zonas rurais. A direcção provincial da Juventude e Desportos distribuiu materiais básicos para a construção de residências, sem recurso a trabalhos de alvenaria especializada. Segundo João Francisco, existem informações que revelam ter sido um sucesso a implementação deste projecto. A iniciativa vai ter continuidade noutras localidades, nos próximos tempos.

Tempo

Multimédia