Províncias

Responsáveis pela Saúde na província reduzem incidência de casos da doença

Manuel Fontoura| Ndalatando

As autoridades sanitárias da província do Kwanza-Norte intensificaram, em 2011, as medidas de bio-segurança em toda a região com o objectivo de reduzir, cada vez mais, a incidência de casos de malária.

Grávidas mais propensas ao paludismo
Fotografia: Manuel Fontoura| Ndalatando

As autoridades sanitárias da província do Kwanza-Norte intensificaram, em 2011, as medidas de bio-segurança em toda a região com o objectivo de reduzir, cada vez mais, a incidência de casos de malária. No âmbito do projecto do Fundo Global, gerido pela UNICEF, foram realizadas várias acções, como o tratamento de casos, promoção da saúde, mobilização social e distribuição de mosquiteiros tratados com insecticida de longa duração.
A Cruz Vermelha também trabalha no projecto de educação para saúde, instruindo o uso correcto de mosquiteiros tratados com insecticida de longa duração, mobilizando a população para a mudança de comportamento, atitude, práticas, medo e crença acerca de malária.
O projecto do Fundo Global permitiu igualmente a expansão do uso do Coartem nas unidades sanitárias, que resultou no tratamento de casos simples de malária. Para o supervisor provincial do Kwanza-Norte da malária, Gonçalo Tandala, devido à sua elevada eficácia terapêutica, o Coartem contribuiu, em grande medida, para a redução das complicações e para a consequente diminuição de casos graves nos hospitais.
Com essa medida, verifica-se uma mudança de comportamento por parte das populações relativamente à malária, através da redução do contacto entre o homem e o vector, uso de mosquiteiros impregnados e prevenção da mulher grávida. Durante o ano passado, as autoridades sanitárias registaram um total de 8.629 casos diagnosticados clinicamente em crianças dos zero aos quatro anos, com 163 óbitos, 34.870 em menores dos 5 aos 14 anos, com 24 óbitos, e 60.890 casos em pessoas com mais de 15 anos, com 42 óbitos.
No conjunto, 104.597 pessoas foram observadas. Em 2010, foram diagnosticados 139.628 casos de malária, com 313 óbitos.
Um total de 46.034 mosquiteiros tratados com insecticida de longa duração foram distribuídos à população do Kwanza-Norte, durante o ano passado, no âmbito do programa dos países da SADC denominado “Fazer Recuar a Malária”, que já vigora no país há cinco anos, desde a sua aprovação em Abuja, capital da Nigéria. Em 2009, contabilizaram-se 405 mortes na província, de um universo de 112.997 pessoas doentes. No ano anterior, morreram em todo o território da província 809 pessoas, em 130.865 pessoas doentes, enquanto em 2007, de um total de 162.268 indivíduos doentes, 517 faleceram.

Tempo

Multimédia