Províncias

Sal impróprio destruído no Bié

Delfina Victorino | Cuito

Grande quantidade de sal não iodizado foi destruída no primeiro trimestre deste ano pela equipa técnica da Direcção Provincial do Comércio do Bié, em colaboração com a Polícia Fiscal e o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC).

Muitos produtos com prazos vencidos
Fotografia: Sérgio Vieira Dias

A directora provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo do Bié, Ludmila Ferreira, disse ontem no Cuito que a venda de sal não iodizado nos estabelecimentos comerciais foi bastante frequente nesse período e, por isso, a instituição actuou.
Ludmila Ferreira salientou que “era impossível o consumidor notar a falsificação do produto, devido à qualidade aparente que apresentava, uma vez que o mesmo sal não iodizado exposto nos mercados paralelos e estabelecimentos comerciais tinha indicações de produto verdadeiro”. />A Inspecção do Comércio detectou a falsificação, através de teste em laboratório e está a  retirar dos estabelecimentos e mercados comerciais o produto, com auxílio da Polícia Económica. Durante o primeiro trimestre, foram realizadas 336 visitas de inspecção, que comprovaram que 259 estabelecimentos comerciais estão legais.
Com a emissão dos novos alvarás, o sector do Comércio está a enquadrar e a actualizar os comerciantes de acordo com a actividade que praticam.

Tempo

Multimédia