Províncias

Sal não iodizado à venda em mercados informais

Ana Paulo

O produto não processado pode causar mais de 15 doenças como o bócio, deficiência de assimilação e impotência sexual

Fotografia: DR

A totalidade do sal extraido do garimpo em zonas costeiras no país, não passa pelo processo de iodização, o que constitui um risco à saúde pública, declarou o director nacional de Produção de Sal e Iodização, Osvaldo da Costa.
Os técnicos de Inspecção de Actividades Económicas apreenderam durante o primeiro semestre do corrente ano, um total de 27.900 quilogramas de sal provenientes das zonas de extracção de Benguela e Lobito.
O sal não iodizado é disponibilizado apenas para a salga (secagem de peixe) e para trabalhos específicos, conforme consta do Decreto 79/08 de 22 de Setembro, sobre as normas relactivas à preparação e distribuição deste produto para o consumo humano e animal.

Tempo

Multimédia