Províncias

Salientados no município do Ebo os ganhos conquistados com a paz

Casimiro José | Ebo

O vice-governador do Kwanza-Sul para organização e serviços técnicos disse, no sábado, num comício na vila do Ebo, que a paz, alcançada em 4 de Abril de 2002, criou condições para a execução de vários projectos económico e sociais, que estão a responder às necessidades mais elementares das populações.

Várias infra-estruturas de impacto social foram erguidas na vila do Ebo para melhorar o nível de vida da população
Fotografia: Casimiro José

O vice-governador do Kwanza-Sul para organização e serviços técnicos disse, no sábado, num comício na vila do Ebo, que a paz, alcançada em 4 de Abril de 2002, criou condições para a execução de vários projectos económico e sociais, que estão a responder às necessidades mais elementares das populações.

  Augusto Sakongo, que representou o governador provincial do Kwanza-Sul, Serafim Maria do Prado, afirmou que são visíveis os ganhos da paz, realçando a construção de infra-estruturas económicas e sociais, estradas e pontes, e o fomento de empregos.
 O vice-governador referiu que o programa de reconstrução nacional está a mudar o quadro social e económico de Angola e apelou para o empenho de todos os angolanos enquadrados nos mais variados sectores da economia nacional.
 “Vemos por todos os lados escolas construídas de raiz e outras reabilitadas e ampliadas e hospitais e postos de saúde, sem descurar a reparação de estradas”, lembrou
 O vice-governador entregou mosquiteiros impregnados e medicamentos no posto de saúde da vila.

 Pacificação dos espíritos

A paz deve ser cultivada todos os dias, a começar nos lares, nas escolas, nos locais de trabalho, nas ruas e, como não podia deixar de ser, nas igrejas, disse, sublinhando que tudo passa por perdoar e saber viver na diversidade.
 “Temos de, a cada dia que passa, agirmos de forma responsável e termos afecto de irmãos. Não interessa a filiação partidária ou confissão religiosa de cada um, o mais importante é que todos somos angolanos e estamos condenados a viver juntos”, frisou.
 No comício foram lidas mensagens dos antigos combatentes, do Conselho Provincial da Juventude (CPJ) e das igrejas.
A tónica dominante foi o reconhecimento dos esforços do Governo na reconstrução de infra-estruturas económicas e sociais.
Os antigos combatentes pediram ao Governo que prossiga com a política de inclusão social das pessoas portadoras de deficiência, das viúvas de guerra, dos órfãos e de outras pessoas vulneráveis.
O Conselho Provincial da Juventude salientou, na mensagem, a necessidade de o Governo continuar a promover a política de fomento habitacional, de emprego e de formação académica.
O administrador do município do Ebo, Gualberto Longuenda, agradeceu a escolha do município para a realização do comício e, em nome da população, manifestou o orgulho pelos empreendimentos sociais construídos, no âmbito do programa de reconstrução nacional.
 
 Empreendimentos sociais
 
No âmbito das comemorações do Dia da Paz e Reconciliação Nacional, foi inaugurado, na povoação da Balaia, um posto médico, reabilitado e ampliado, que vai prestar assistência a cerca de 8.400 habitantes da região.
 O posto tem duas salas de internamento, uma delas para mulheres, outra para tratamentos, um consultório e farmácia.
As obras custaram aos cofres do Estado 115.500 dólares, incluindo o equipamento.  Balaia passou a dispor também de uma cabine de emissão da Televisão Pública de Angola (TPA), que vai expandir o sinal num um raio de 15 quilómetros.  Além disso, a administração municipal do Ebo tem, desde o dia 3, uma casa de passagem para técnicos e quadros da administração central do Estado.

Tempo

Multimédia