Províncias

Seca mata milhares de cabeças de gado

Elautério Silipuleni | Ondjiva

A falta de água e de pasto para os animais, em consequência da seca prolongada que assola à província do Cunene, desde Outubro do ano passado, já provocou a morte de mais de 30 mil cabeças de gado, informou, em Ondjiva, o vice-governador para o sector Técnico e Infra-estruturas.

Falta de água e de pasto em várias localidades do Cunene estão a causar danos ao gado
Fotografia: DR

Édio Saumbwako disse que a situação é desoladora para os criadores locais, que têm o gado como fonte de rendimento e neste momento a seca constitui preocupação do Governo Provincial e do Executivo.

De acordo com o governante, a morte de 30 mil cabeças de gado representa a perda de mais de quatro mil milhões de kwanzas.
Devido a problemática da seca no Cunene, acrescentou, muitos criadores são forçados a vender os animais a preço baixo. Segundo o vice-governador, para salvar o gado mais fragilizado, o Ministério da Agricultura e Florestas está a comprar bois para a criação e para o matadouro.
Édio Saumbwako salientou que a seca no Cunene é problema cíclico, cuja solução definitiva passa pela construção de canais abertos junto dos rios que circundam à província, de modo que as populações nas zonas rurais deixem de depender unicamente das chuvas para a agricultura, consumo humano e para os animais.
De acordo com Édio Saumbwako, devido a escassez de água no Cunene, os homens e animais partilham o mesmo bebedouro, correndo o risco de contrair várias doenças. A par da morte de animais, a seca comprometeu a presente campanha agrícola na província, que previa colher 180 mil toneladas de cereais diversos e afectou 175 mil famílias, totalizando 880.172 pessoas. No âmbito do Plano de Emergência contra a Fome, a província do Cunene tem vindo a receber milhares de toneladas de bens de primeira necessidade, mas ainda precisa-se de mais, com destaque para o massango, milho e massambala, para apoiar a população durante um ano.

UNICEF apoia programas de nutrição e saneamento

O representante do UNICEF em Angola, Abubacar Sultan, mostrou-se preocupado, em Ondjiva, Cunene, com o elevado índice de malnutrição que se regista em várias regiões, com grande incidência ao Sul do país, devido a seca prolongada.
Abubacar Sultan falava no acto de entrega de produtos para os programas de reabilitação nutricional de crianças, bem com água e kits de dignidade para as mulheres nas comunidades assoladas pela seca.
De acordo com o responsável, o UNICEF desenvolve um vasto programa de apoio às políticas do Governo Provincial do Cunene, nos domínios da Saúde, Educação, Justiça e Assistência Social.
Orçado em 160 mil dólares norte-americanos, o programa, a ser executado em seis meses, inclui acções de distribuição de leite para crianças com mal- nutrição, kits higiénicos e de dignidade para as mulheres.
Abubacar Sultan disse que a contribuição do UNICEF é feita no quadro da execução do programa de apoio ao Governo da Província do Cunene, que inclui intervenções de resposta à emergência, nos sectores de água, saneamento e higiene, nutrição, mobilização social e mudança de comportamento, além da disponibilização de recursos materiais, tecnológicos e capital humano.
De acordo com o responsável, a entrega dos bens faz parte de uma consignação que inclui as províncias da Huíla, Bié, Namibe e Cunene, financiada pelo Fundo Global, com a participação da OMS, FAO e FNUAP, para resposta às emergências.
Na ocasião foram entregues ao Governo do Cunene 794 caixas de leite F-75, 500 caixas de higiene e de dignidade para mulheres e dez mil barras de sabão.
O representante do UNICEF apelou a todos os parceiros da organização que operam na província do Cunene a colocarem o interesse das crianças no centro das suas acções, com destaque para a malnutrição causada pela seca, que pode elevar os índices de mortalidade, e do reforço do sistema de vacinação de rotina.
A vice-governadora para Área Política, Económica e Social, disse que o gesto do UNICEF vai permitir reforçar as acções de emergência do Governo do Cunene, com realce para as crianças.

Tempo

Multimédia