Províncias

Sectores da educação e saúde estão a necessitar de técnicos

António Capitão e Lucas Cabitango | Maquela do Zombo

O administrador municipal adjunto de Maquela do Zombo, Ntoto André Faitoma, afirmou ontem que os sectores da Educação e da Saúde do município necessitam de mais técnicos, para minimizarem a carência de quadros que se faz sentir nestas duas áreas  importantes da sociedade.

O administrador municipal adjunto de Maquela do Zombo, Ntoto André Faitoma, afirmou ontem que os sectores da Educação e da Saúde do município necessitam de mais técnicos, para minimizarem a carência de quadros que se faz sentir nestas duas áreas  importantes da sociedade.
Ntoto André Faitoma esclareceu que, para o normal funcionamento destas áreas, são necessários mais 200 professores, 100 enfermeiros e dez médicos formados nas diferentes especialidades.
O responsável municipal esclareceu que o município dispõe de 236 professores, número que considera irrisório para cobrir as necessidades do sector, que têm vindo a aumentar devido ao crescimento populacional, sobretudo de crianças em idade escolar, para além da necessidade de serem construídas novas salas de aula. 
“Recebemos, neste ano lectivo, mais 42 professores, que foram distribuídos por certas comunas e regedorias, mas mesmo assim este número é insuficiente”, disse.
Em 2009, segundo o administrador municipal adjunto, cerca de duas mil crianças ficaram de fora do sistema de ensino. O responsável acredita que com a construção de mais salas de aula neste ano lectivo, que começa em Fevereiro, estas crianças vão ser inseridas no sistema de ensino.
No município há seis médicos, cinco estrangeiros e um angolano, para além de enfermeiros que asseguram o funcionamento do sector da Saúde, na localidade municipal de Maquela do Zombo.

Tempo

Multimédia