Províncias

Sectores da Educação e Saúde são reforçados

Weza Pascoal | Menongue e Tatiana Marta | Huambo

As escolas e unidades sanitárias públicas da província do Cuando Cubango vão ser reforçadas com novos técnicos, com a realização de um concurso para os dois sectores, previsto para os próximos dias, anunciou ontem em Menongue o director provincial.

O enquadramento de mais professores para os vários níveis de ensino na província permite diminuir a carência de quadros no sector da Educação
Fotografia: Paulo Mulaza

No sector da Educação,  Miguel Kanhime, disse que vão estar disponíveis 699 vagas para professores auxiliares e diplomados do ensino primário e do segundo ciclo.
Miguel Kanhime salientou que a maior parte das vagas é distribuída pelos municípios do interior da província, onde se regista  escassez  de professores.
Por este facto, Miguel Kanhime apelou aos administradores municipais a prestarem uma maior atenção durante a realização do concurso público, para que se priorizem os candidatos locais. “Assim, deixamos de ter pessoal que trabalha um tempo  e depois pede transferência ou abandonam os locais de trabalho.”
A par do sector da Educação, os serviços sanitários também beneficiam de um concurso, que vai disponibilizar 67 vagas para médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico e terapêutica, anunciou o director provincial da Saúde, Lucas Macai Dala, ao Jornal de Angola.
Lucas Macai Dala avançou que vão ser admitidos dez médicos internos gerais, sete técnicos superiores de primeira classe, cinco enfermeiros licenciados e igual número de técnicos médios de diagnóstico e terapêutica, 30 enfermeiros de terceira classe, um inspector superior e dois sub-inspectores de nível médio.
Lucas Dala fez saber que a distribuição dos técnicos a nível dos municípios é feita de acordo com o número de unidades sanitárias que cada um tem, sendo a capital da província a ficar com o maior número de vagas. Noutra abordagem, Lucas Macai Dala disse inexistir qualquer oportunidade de subida de categoria dos profissionais que já trabalham no sector, uma vez que o número de vagas não satisfaz as necessidades da província.
Apesar disso, Lucas Macai Dala, que disse reconhecer o papel dos profissionais que ao longo do tempo deram o seu contributo e já com um nível académico elevado, assegurou que há esforços junto das autoridades para que estes sejam promovidos. Lucas Dala acrescentou que, para maior e melhor cobertura das unidades sanitárias, a província necessitaria, no mínimo, de mais de 800 novos profissionais nas mais variadas especializações, a par de pessoal de apoio administrativo como catalogadores, maqueiros, copeiros, entre outros.
Lucas Macai Dala informou que actualmente o sector da Saúde conta com 1.516 funcionários, dos quais 37 médicos, 346 enfermeiros gerais e 567 auxiliares, 503 quadros administrativos, cinco técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica e outros 28 de nível médio, que prestam serviços em 104 unidades sanitárias.

Ensino e saúde

O Huambo tem disponíveis 926 vagas para candidatos aos sectores da Educação e da Saúde, no âmbito do concurso público que se realiza em breve, anunciou ontem o secretário-geral do Governo Provincial.
Feliciano Salomão Himulova adiantou que a abertura do processo de candidaturas está, neste momento, a depender da criação de condições administravas e organizativas, a serem preparadas pelo Governo local.
O secretário-geral do Governo Provincial informou que o sector da Educação vai admitir 777 professores e a Saúde tem 49 vagas reservadas. “Estamos a trabalhar para que o concurso público decorra de forma transparente e que sejam seleccionados os melhores.”  Feliciano Salomão admitiu que o total de vagas disponíveis é insuficiente, dai que a prioridade é para as comunas mais afastadas das sedes municipais, onde a necessidade de quadros é maior.
Para suprir as necessidades nos referidos sectores, devem concorrer candidatos que reúnam os requisitos, bem como os profissionais que trabalham sob regime de contrato, disse Feliciano Salomão. Por esta razão, acrescentou, o Governo Provincial do Huambo pretende que a selecção dos candidatos seja feita em cada uma das localidades.

Tempo

Multimédia