Províncias

Serviço de Migração repatria ilegais

Luísa Victoriano| Malanje

O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), em Malanje, repatriou, de Janeiro a Novembro, 433 indivíduos de várias nacionalidades, disse, ao Jornal de Angola, o director provincial da instituição.

O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), em Malanje, repatriou, de Janeiro a Novembro, 433 indivíduos de várias nacionalidades, disse, ao Jornal de Angola, o director provincial da instituição.
Herculano Manuel referiu que os estrangeiros repatriados, através da fronteira do Tembo-Aluma, foram, na maioria do da República Democrática do Congo.
 O SME entregou, no mesmo período, às autoridades congolesas 80 cidadãos do Oeste africano, que tentaram violar a fronteira angolana. 
 Os estrangeiros, afirmou, foram interceptados pela Polícia de Fronteira, numa operação, que teve a colaboração das Forças Armadas e da Polícia Nacional.
 O SME em Malanje controla 347 estrangeiros com vistos de trabalho, 142 com vistos de residência e dois com permanência temporária, além de 387 ­refugiados.
 
SMS com novas  instalações 
 
Herculano Manuel revelou que, no quadro do programa de modernização do sector, está prevista a construção do novo edifício dos SME e que, no próximo ano, o quadro de efectivos vai ser reforçado com 60 elementos.
O SME em Malanje está implantado nos municípios de Cacuso, Quela, Tembo-Aluma e Muheto (Marimba), onde há a maior concentração de estrangeiros.
 
Situação da fronteira é calma
 
O director provincial do SME garantiu, ao Jornal de Angola, que a situação ao longo da fronteira é estável.
  SME encaminhou, este ano, para Luanda, 743 processos para emissão de passaportes.

Tempo

Multimédia