Províncias

Serviços públicos com grandes melhorias

Estanislau Costa | Gambos

As novas infra-estruturas da Administração Municipal dos Gambos, 150 quilómetros a sul da cidade do Lubango, estão a diversificar a prestação dos serviços e evitar que os cidadãos se desloquem a outras localidades para diligências pessoais.

Administração Municipal dos Gambos conta com novo edifício para melhorar a prestação de serviços à população
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

O moderno empreendimento inaugurado terça-feira pelo governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, no quadro dos festejos dos 40 anos de Independência Nacional, possui no rés-do-chão e no primeiro piso uma sala vasta de reuniões e vários gabinetes para acomodar os dirigentes dos Gambos, serviços de fiscalização, assistência social, saúde, saneamento básico e agricultura.
Além da sede da administração, foram ainda entregue o edifício da repartição municipal da Educação e a casa da administradora adjunta. Os referidos imóveis, erguidos de raiz, foram  financiados pelo Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza e custaram mais de 125 milhões de Kwanzas.
O antigo imóvel que acolhia os serviços da Administração Municipal estava completamente degradado, por ter sido construído na época colonial. O administrador municipal dos Gambos, Elias Sova, disse que a circunscrição registou, nos últimos tempos, um crescimento ­de­mo­gráfico acentuado com 75.988 habitantes, o que houve a necessidade de melhorar e aumentar os serviços prestados à população.
O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, garantiu que estão a ser desenvolvidas acções no sentido de minimizar os efeitos negativos causados pelas estiagens prolongadas que, em determinados ciclos do ano, afectam o município dos Gambos.
 “Estão em curso projectos estruturantes para reduzir os efeitos da carência de água no seio das populações das zonas rurais afectadas”, disse, esclarecendo que foram lançadas as obras de construção de três barragens, sendo que a dos Gambos está localizada próximo a zona do Rei Katende Canjamba.
No município foi  lançada a primeira pedra para a construção da represa que, apesar das consequências da crise, tudo está a ser feito para que no próximo ano as obras retomem para que a água do rio Caculuvar e das chuvas sejam conservadas por mais tempo e sirva para ampliar as culturas”. Os três empreendimentos vão ter capacidade para reter acima de 620 milhões de metros cúbicos de água. As obras vão custar ao Executivo cerca de 1.616,7 mil milhões de Kwanzas.   A barragem da Mucoco-Arimba no Lubango está projectada numa extensão de 230 hectares e 16 metros de altura, além de ocupar uma área de inundação de 11 milhões de metros cúbicos de água. A de Nongelo-Gambos com 16 metros de altura possui uma  área de 11 hectares. A sua capacidade de reserva é de 400 milhões de metros cúbicos de água.
O dique de retenção da Nampombo-Quihita na Chibia, com 19 metros de altura, foi desenhado num espaço de 2.270 metros quadrados.

Tempo

Multimédia