Províncias

Sinais de desenvolvimento são visíveis na vila de Cacolo

Camuanga Júlia e Adão Diogo |Cacolo*

A administradora municipal de Cacolo, província da Lunda-Sul, Idalina de Fátima Isanzo, destacou a expansão da rede escolar e sanitária a todas as comunas,a  reabilitação de estradas e pontes e os sistemas de abastecimento de água e energia, como principais avanços que o município conheceu durante os oito anos de paz.

Sistema de captação tratamento e distribuição de água está a ser reabilitado
Fotografia: Adão Diogo

A administradora municipal de Cacolo, província da Lunda-Sul, Idalina de Fátima Isanzo, destacou a expansão da rede escolar e sanitária a todas as comunas,a  reabilitação de estradas e pontes e os sistemas de abastecimento de água e energia, como principais avanços que o município conheceu durante os oito anos de paz.
 
Idalina de Fátima Isanzo disse ao Jornal de Angola que construção de habitações facilitou a fixação de técnicos especializados, sobretudo professores, enfermeiros e médicos na região.
“Depois da construção de casas conseguimos colocar professores e técnicos de saúde nas sedes comunais. Posteriormente cuidámos do alojamento dos administradores e depois fizemos uma intervenção nas estradas para facilitar a livre circulação e estimular a agricultura, como peça importante no combate à fome e à pobreza que grassa no seio das populações”, referiu a administradora de Cacolo.
 O regedor do município, Armindo Satxicapo, acrescentou que agora a tarefa principal é o resgate de valores morais e cívicos perdidos durante a guerra.
 Com apenas 13 anos, Upale  artins reconhece os esforços do Governo e está satisfeita com a multiplicação de escolas, instalação de sistemas de abastecimento de água potável e de geradores de energia em todas as comunas do município. 

Ganhos da paz

O director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística (GEPE) do Governo Provincial da Lunda-Sul, João Fucungo, considerou que o clima de paz relançou o país no caminho do desenvolvimento socioeconómico.
Referiu que “os frutos produzidos nos últimos anos” suplantam de longe o quadro de acções desenvolvidas durante décadas no período colonial e contrastam com o cenário de destruições criado ao longo de 30 anos de guerra.
 As estatísticas apresentados por João Fucungo destacam, no sector da Educação, a inserção de 85.950 alunos, 1.285 docentes, para  600 salas de aulas, do ensino de base ao nível superior, contra 23.230 alunos, 703 docentes, registados há oito anos, do primeiro nível ao ensino médio, no Lunda-Sul.
 
Sector social

No domínio da Saúde a aposta na formação obrigou à construção de novos hospitais e centros de saúde ou a ampliação dos que já existiam. Estes equipamentos permitiram a contratação de 40 médicos e integrar 650 técnicos básicos.
Há oito anos o município tinha apenas nove médicos e 406 técnicos básicos de saúde.
 A cidade de Saurimo e parte dos bairros periféricos foram dotados, há dois anos, de iluminação pública e fornecimento regular de energia ao domicílio. Estes avanços só foram possíveis com o arranque da barragem hidroeléctrica do rio Chicapa. O fornecimento regular de energia incentivou investimentos na indústria e outros sectores, numa altura em que uma empresa privada concluiu a instalação subterrânea de cabos de baixa e média tensão, para contornar transtornos no uso de rede de cabos aéreos na cidade de Saurimo.
 A população vive na expectativa em torno do arranque, no segundo semestre, da segunda estação de captação e tratamento de água no rio Chicapa.
Está concluída a instalação de uma conduta, numa extensão de cinco quilómetros, que vai garantir abastecimento de água a dez bairros. O sistema completo fica concluído daqui a 15 meses.
 O programa de reabilitação de estradas na província inscreve 420 quilómetros, 280 dos quais já asfaltados e 60 terraplenados.
 As obras permitiram a construção de 30 pontes metálicas e conclusão de 13 definitivas, das 17 previstas para este ano.  

 07-04-10                                                                                 

Tempo

Multimédia