Províncias

Sobas reafirmam o compromisso de supervisionar as comunidades

Marcelo Manuel | Ndalatando

Autoridades tradicionais na província do Cuanza-Norte reafirmaram, ontem, em Ndalatando, o compromisso de desempenharem as funções de representantes do Governo nas comunidades, consciencializando os cidadãos a participarem, de forma activa, no processo de crescimento do país.

Evento dos sobas abordou os problemas que afligem a classe
Fotografia: Edições Novembro

Esta posição foi manifestada durante o 1º encontro provincial sobre as autoridades tradicionais, evento que se afigura como antecâmara para o encontro nacional da classe, que decorre entre os dias 18 e 19 deste mês em Luanda.
Durante o certame, os sobas apresentaram propostas para uma relação institucional entre o poder judicial e as autoridades tradicionais, de formas a evitar a violação dos preceitos culturais, durante a realização de julgamentos.
Os sobas pretendem que sejam criados tribunais tradicionais municipais e provinciais, para que as questões de âmbito culturais tenham tratamentos específicos e adequados.
O soba Zavula do sector de Cazengo, defendeu a atribuição às autoridades tradicionais de um salário digno, ao invés de subsídios irrisórios que recebem actualmente, com vista à melhoria das condições de vida da classe.
Florinda Vunge, uma das sobas de Cambambe, destacou a importância da fixação do número de habitantes que são controlados por cada entidade tradicional, “para que se saíba melhor dos problemas que afligem às comunidades, e permitir que de forma célere buscam-se as soluções”.

 

 

Tempo

Multimédia