Províncias

Toxicodependentes são reintegrados

Nicolau Vasco | Menongue

Pelo menos sete das 35 pessoas, que se encontravam em tratamento no Centro de Reabilitação para Doentes Toxicodependentes, instalado no município de Menongue, foram reintegradas no convívio familiar, depois de seis meses de internamento contra a dependência de bebidas alcoólicas.

Pessoas toxicosdependentes que recebiam tratamento já se encontram no convívio familiar
Fotografia: Edições Novembro

O director do centro, Ayres Tchitembo Manuel, disse que os doentes toxicodependentes foram submetidos, durante os seis meses, a vários métodos de tratamento, baseados na palavra de Deus e em outros aconselhamentos religiosos.
O Centro de Reabilitação de Tóxicos Dependentes do Álcool e Outras Drogas, que abriu oficialmente em Novembro do ano passado, no país, conta actualmente com 35 doentes das províncias de Luanda, Bié e do Cuando Cubango.
No Cuando Cubango, a instituição filantrópica, fundada no dia 21 de Setembro de 1877, na República da Suíça, conta com o apoio das igrejas Evangélica Revolucionária em Angola (IERA), Evangélica Sinodal em Angola (IESA), Congregacional em Angola (ICA), União das Igrejas Evangélicas em Angola (UIEA) e da Evangélica Congregacional em Angola (IECA).
Com base numa escala, os pastores das referidas denominações religiosas realizam todos os dias secções de culto com os doentes, seguido de conversas que têm vindo a surtir efeitos.
Ayres Tchitembo sublinhou que a nível da província do  Cuando Cubango, particularmente em Menongue, o centro, situado no bairro Castilho, desde a sua criação, tem sido procurado por muitos indivíduos com dependência de álcool, que se encontram actualmente desintegrados da sociedade. Explicou que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas afecta actualmente, na sua maioria, jovens e adultos, situação que contribui para a desestruturação de muitas famílias.

Fraco desempenho


O director do Centro de Reabilitação disse que há registo de casos em que os consumidores têm perda de memória, o que resulta no fraco desempenho escolar e de outras dificuldades que as levam, às vezes, a abandonar os lares e a viver na rua.
Em função disso, Ayres Tchitembo apelou à sociedade para trabalhar unida no sentido de  erradicar-se o mal associado implicitamente à pobreza e garantir a promoção de políticas que assegurem os cuidados primários de saúde a este grupo social.
O vice-governador para o sector Político e Social, Pedro Camelo, que prestigiou a cerimónia de soltura dos ex-dependentes, considerou o acto um momento de satisfação e de entusiasmo. “Com força de vontade e persistência, consegue-se atingir os nossos objectivos. E a prova disso é a reintegração de sete compatriotas nossos no convívio familiar”, referiu o responsável provincial. O vice-governador lamentou o facto de, no Cuando Cubango, muitos delitos serem resultado do consumo de bebidas alcoólicas e de outros drogas, além de desestruturarem as famílias.
Em função da gravidade da situação, Pedro Camelo avançou que o Governo vai associar-se aos desafios das organizações não-governamentais no serviço da assistência social, principalmente na destinada exclusivamente a todas as pessoas viciadas no uso abusivo de bebidas alcoólicas.

Tempo

Multimédia