Províncias

Troço rodoviário à espera de obras

Jaquelino Figueiredo | Soyo

O estado do troço rodoviário entre a Casa de Telha e Nzeto, no município do Soyo, numa extensão de 150 quilómetros, tem dificultado a circulação de pessoas e bens, em consequência das fortes chuvas que se abatem nos últimos dias na região.

A situação tem criado embaraços na circulação de qualquer viatura, inclusive as de todo terreno, quer entre os município do Soyo-Tomboco-Mbanza Congo e vice-versa quer   do troço Soyo-Nzeto-Luanda, em função do mau estado do terreno e do surgimento de ravinas, o que provoca uma viagem demorada.
O Jornal de Angola constatou ao longo do troço que a chuva que cai intensamente na região criou sérios transtornos aos automobilistas. As viaturas ficaram presas nas localidades do Kimbriz e Kivanda, comuna da Mangue Grande, a cerca de 70 quilómetros da cidade do Soyo, porque não conseguiram transpor as pequenas elevações em consequência do estado do terreno escorregadio e bastante lamaçal.
O automobilista Celestino Paulo que viajava da cidade do Soyo para a comuna da Mangue Grande disse ter passado por momentos difíceis, dado o mau estado do troço, concretamente na área do Kimbriz.
“Há quatro dias que nos encontramos  na localidade do Kimbriz a espera que haja uma intervenção no troço. Solicitamos as entidades de direito a encontrarem solução, pois há aqui senhoras com crianças no meio desta aldeia sem alimentos”.  
Carlos Salomão, também automobilista, que seguia para Luanda em busca de mercadoria, mostrou-se contristado com a situação e disse que se encontra aflito por não conseguir prosseguir viagem.

Tempo

Multimédia