Províncias

Administração do Bembe aposta na área social

Valter Gomes | Bembe

As infra-estruturas sociais erguidas no município do Bembe, na província do Uíge, nos últimos anos, no âmbito do programa de combate à pobreza, contribuem para a melhoria das condições de vida das populações, disse ao Jornal de Angola a administradora municipal, Maria Manuela Cardoso.

Para este mês está previsto o arranque dos trabalhos de instalação de postes de iluminação pública e de ligações domiciliárias nas aldeias
Fotografia: Domingos Nicolau

Das acções de melhoria do município, há a registar o aumento de salas de aulas, unidades de saúde, construção de novas residências, estabelecimentos comerciais e outras infra-estruturas sociais e económicas.
A administradora reconheceu que há sete anos o município estava votado ao abandono, as casas com cobertura de capim e quase sem infra-estruturas sociais, mas hoje o quadro melhorou consideravelmente.
“Quem por cá passou há sete anos, com certeza saiu com uma má imagem desta localidade, mas se voltar a passar agora vê que muitos escombros e espaços que antigamente estavam abandonados foram transformados em residências, estabelecimentos comerciais, instituições públicas, espaços verdes e de lazer”, salientou.
A Administração Municipal, por exemplo, não tinha instalações apropriadas e muitas outras instituições públicas funcionavam em edifícios em mau estado. O município possuía apenas quatro centros de saúde e um posto médico. Bembe conta hoje com 22 unidades sanitárias, entre postos e centros de saúde, localizados nas regedorias, aldeias, comunas e na sede do município, cujo funcionamento é assegurado por 105 enfermeiros e dois médicos.
 A Administração Municipaldo Bembe  trabalha na criação de condições para minimizar os problemas do sector da saúde. Está prevista a construção de um hospital de referência com capacidade para mais de 100 camas.

Luz e água nas comunidades


Na sede do município do Bembe, a energia eléctrica chega à população através de um grupo gerador de 700 kva que também abastece as instituições públicas, estabelecimentos comerciais e assegura a iluminação pública. A administradora municipal garante estender a rede de energia até às aldeias circunvizinhas da sede do município, para permitir que outros habitantes possam também consumir o produto.
Para este mês, está previsto o arranque dos trabalhos de instalação de postes de iluminação pública e de ligações domiciliárias nas aldeias e regedorias. Pelo menos dois mil habitantes da sede municipal do Bembe consomem água potável através de um sistema de captação, tratamento e distribuição, construído no âmbito do Programa “Água para Todos”.  O projecto contempla oito chafarizes e duas lavandarias que ajudaram a encurtar a distância que a população percorria em busca do precioso líquido nos rios e lagoas.
A administradora do Bembe disse que a água deixou de ser um problema com a instalação, próximo das residências, de chafarizes e fontenários.

Mais escolas


O município do Bembe conta com 46 escolas construídas de raiz, desde o ensino primário, II ciclo e ensino secundário. No ano lectivo passado foram matriculados mais de 11 mil alunos, da iniciação à 12ª classe. As aulas foram asseguradas por 600 professores, distribuídos pelas aldeias, regedorias, comunas e na sede municipal.
“Em 2002, não havia o II ciclo e o número de alunos era reduzido. Tínhamos menos de quatro mil alunos que frequentavam aulas do ensino primário e I ciclo. A partir de 2002 o número de alunos começou a aumentar”, disse a administradora municipal.
O  surgimento de novas infra-estruturas é fruto da aplicação dos Programas de Investimentos Públicos e de Combate à Pobreza.

Tempo

Multimédia