Províncias

Aldeia do Cavungo tem novo posto de saúde

Joaquim Júnior| Uíge

A população da aldeia Cavungo, município do Songo, província do Uíge, passou a com um posto médico construído de raiz pela administração municipal local, no âmbito do Programa de Combate à Fome e à Pobreza.

Um ângulo da sede municipal do Songo
Fotografia: Mavitidi Mulaza| Uíge

Com capacidade para 40 camas, a unidade sanitária funciona com duas salas de internamento, um consultório médico, recepção e lavabos. A inauguração da infra-estrutura enquadrou-se no programa de comemorações do Dia do Herói Nacional, assinalado a 17 de Setembro último.
A administradora municipal do Songo, Adelina Pinto, que inaugurou o empreendimento sublinhou que a administração local, no seu programa de desenvolvimento do município, continua a implementar acções de construção de centros e postos de saúde, escolas e outras infra-estruturas em benefício da população local.
 Nesta perspectiva, a administração do Songo está a criar postos provisórios de saúde nas aldeias mais longínquas da sede municipal local com o objectivo de prevenir as doenças correntes nas comunidades, enquanto prosseguem os trabalhos de expansão de infra-estruturas sanitárias no interior do município. O projecto que arrancou simultaneamente nas regedorias de Demba e Penda, comuna do Quivuenga, já está a ser implementado nas aldeias Pombo, Quizambi, Matenda e Diádia. Para estas localidades foram distribuídos 14 técnicos de saúde.
“Depois ter sido feito visitas de constatação em 57 aldeias, das 81 existentes no município vimos que há um grande grito em termos de assistência médica e medicamentosa nas comunidades”, disse.
Acrescentou que foi por esta razão que se achou por bem abrir-se alguns postos provisórios no sentido de acudir as dificuldades de saúde que as populações locais enfrentam, enquanto esperam pela construção de centros e postos definitivos de saúde. O município do Songo possui um hospital de referência com capacidade para 150 camas e oferece serviços de consultas médicas, pediatria, banco de urgência, cirurgia, medicina geral, maternidade e outros. A administradora municipal disse que o referido estabelecimento hospitalar vai contar nos próximos dias com um banco de sangue e uma área de estomatologia.
Adelina Pinto avançou que a administração municipal está, também, a proceder a ampliação da sala da pediatria e do banco de urgência para elevar a sua capacidade de internamento de 150 para 200 pacientes. Além do hospital municipal, a rede sanitária do Songo é incorporada por mais 15 unidades de saúde, entre postos e centros médicos, cujo funcionamento é assegurado por 180 técnicos de saúde, entre médicos e pessoal auxiliar.
Outros 10 postos de saúde estão a ser construídos nas localidades de Banza Luanda I, Banza de Origem, Mbau, Mbau de Origem, Diádia, Quicaricari II, Aldeia Nova e Quiniambi. Os antigos postos de saúde da aldeia Zulumongo e Quilala estão a ser reabilitados.
O município do Songo, cerca de 40 quilómetros da sede provincial, possui uma população estimada em 44 mil habitantes.

Tempo

Multimédia