Províncias

Aulas no Uíge sem absentismo

António Capitão| Uíge

O primeiro dia de aulas nas escolas da província do Uíge, após a abertura oficial do ano lectivo na passada quarta-feira, esteve muito movimentado, com a presença massiva de professores e alunos, constatou o Jornal de Angola em várias instituições de ensino primário, do I e II ciclo do ensino secundário. 
Na escola de formação de professores  “Cor Mariae”, a directora-geral, Irmã Adelina Afonso, afirmou não ter havido absentismo por parte dos docentes e alunos.

Na província do Uíge a falta de absentismo de alunos e professores nas salas marcou pela positiva o início do presente ano lectivo
Fotografia: JA

O primeiro dia de aulas nas escolas da província do Uíge, após a abertura oficial do ano lectivo na passada quarta-feira, esteve muito movimentado, com a presença massiva de professores e alunos, constatou o Jornal de Angola em várias instituições de ensino primário, do I e II ciclo do ensino secundário. 
Na escola de formação de professores  “Cor Mariae”, a directora-geral, Irmã Adelina Afonso, afirmou não ter havido absentismo por parte dos docentes e alunos.
De acordo com aquela responsável escolar, dos 120 docentes que leccionam na instituição, 118 foram trabalhar no primeiro dia e a maior parte dos alunos matriculados, da iniciação à 13ª classe, compareceram às aulas.
“Para nós, o primeiro dia de aulas é sagrado. Na semana passada, convocamos os alunos para cada um conhecer a sua sala, o período, o professor e o horário”, esclareceu a directora da escola.
A Irmã Adelina Afonso destacou a necessidade de os alunos comparecerem nas salas no primeiro dia das aulas, visto que é nessa data que os professores procuram conhecer os discentes e serem conhecidos por eles.
É igualmente no primeiro dia de aulas que os docentes fornecem o programa trimestral das disciplinas e outras considerações gerais.
Por sua vez, a professora Noémia Tomás, da escola primária número 68, considerou importante a presença do docente na sala de aulas, para motivar a presença das crianças na escola.
A professora Noémia Tomás pediu aos encarregados de educação que acompanhem as crianças, para que estas não se desviem das instituições de ensino.
“Se o professor se fizer presente na sala, no primeiro dia de aulas, contribui para que os petizes permaneçam na escola e os alunos presentes vão passar a mensagem aos ausentes que as aulas tiveram início”, reforçou.
O director da escola número 68, Venâncio Gomes, afirmou que as aulas estão em curso e que no primeiro dia professores e alunos afluíram à instituição. O gestor escolar assegurou que na sua escola o primeiro dia serviu para os alunos organizarem as salas e conhecerem os docentes. “Hoje, todos alunos estão engajados na limpeza das suas salas, na eleição do delegado de turma e na troca de informações entre eles e os professores”, enfatizou.  Na escola do primeiro ciclo do ensino secundário “José Eduardo dos Santos”, o cenário foi o mesmo. A maior parte dos professores estavam na instituição para se apresentarem aos alunos.
O primeiro dia de aulas naquela escola serviu para os alunos confirmarem as salas e obterem os horários.
O director da escola “José Eduardo dos Santos”, Paulo Quioloma, disse estarem criadas todas as condições técnicas, administrativas e pedagógicas para o normal funcionamento das aulas.
O docente disse que os alunos daquela instituição foram alertados para não faltarem nos primeiros cinco dias de aula, sob pena de serem excluídos das listas.

Tempo

Multimédia