Províncias

Bairros da cidade do Uíge mais iluminados

Nicodemos Paulo| Uíge

Os bairros Gai, Papelão, Candombe Novo e Quilala, na periferia da cidade do Uíge, vão beneficiar de melhorias consideráveis no fornecimento de energia eléctrica, nos próximos dias, garantiu o director provincial da Empresa Nacional de Electricidade (ENE).

Vista parcial da cidade do Uíge onde a Empresa de Electricidade aconselha a população a pagar regularmente o consumo de energia
Fotografia: Filipe Botelho|Uíge

Pedro Estêvão Buca, que falava num encontro de esclarecimento e consciencialização sobre o uso seguro e eficiente de energia eléctrica, promovido pela ENE, em parceria com a Odebrecht, ainformou que a empresa está a realizar trabalhos de manutenção da rede de baixa tensão, nas linhas de distribuição doméstica em vários bairros da cidade do  Uíge.
Na subestação do Uíge II, a ENE substituiu o transformador de 15 MVA (Mil voltes amperes) por um outro de 20, para elevar a capacidade de produção energética e melhorar o fornecimento do produto aos bairros.
Neste momento, decorrem trabalhos de colocação de mais um transformador de 20 MVA na subestação, para permitir que mais bairros beneficiem da energia eléctrica, proveniente da barragem de Capanda.
O director provincial da ENE disse que esta operação vai aumentar o número de consumidores e diminuir as interrupções no fornecimento de corrente eléctrica às populações. A corrente de Capanda está a ser auxiliada por dois grupos geradores, com uma potência instalada de 8.000 KVA. Pedro Buca acrescentou que a mini hídrica do Luquixi, com capacidade para produzir  0,788 mega watts, está a ser reforçada com uma segunda turbina de dois mega watts, para prevenir possíveis falhas. O responsável da ENE no Uíge advertiu que o sucesso desta operação depende em grande medida da colaboração da população consumidora. “É fundamental a participação dos consumidores no uso racional da energia, pagando regulamente a corrente eléctrica e evitar as ligações anárquicas ou outros actos que possam sobrecarregar o sistema ou prejudicar a rede de distribuição pública de energia”, aconselhou Pedro Buca.
 O vice-governador para o sector económico, Carlos Mendes Samba, disse que é importante a interacção entre as empresas vocacionadas na produção de bens e serviços com os seus consumidores, uma vez que isso facilita maior aproximação entre as partes, eleva os níveis de compreensão, a valorização dos serviços e o valor do pagamento do consumo.
Carlos Samba disse que o encontro permite à direcção local da ENE explicar os seus projectos, a importância da gestão consciente da energia e os pontos de ruptura.
Carlos Samba aconselhou a população a pagar regulamente o consumo de energia para que a ENE possa proporcionar este bem à novos consumidores.
Na província do Uíge, a ENE tem 20.672 consumidores de energia, dos quais 17.714 estão registados no município do Uíge, 2.013 no Negage, e 945 em Maquela do Zombo, localidades que já contam com os serviços de pagamento automático. A Empresa Nacional de Electricidade garante também que a distribuição e a comercialização de energia, proveniente de Capanda, vai chegar aos municípios de Ambaca e Samba Cajú, no Kwanza-Norte.

Tempo

Multimédia