Províncias

Campanha agrícola promete boa colheita

Valter Gomes |Uíge

Mais de 850 hectares para a produção de alimentos estão preparados para a presente campanha agrícola, na localidade de Marioco, que dista cinco quilómetros do município de Milunga, na província do Uíge.

Na terra foram já semeados vários produtos alimentares e a cooperativa Marioca prevê lançar um projecto de criação de gado bovino
Fotografia: Jornal de Angola|

Mais de 850 hectares para a produção de alimentos estão preparados para a presente campanha agrícola, na localidade de Marioco, que dista cinco quilómetros do município de Milunga, na província do Uíge.
O presidente da cooperativa agro-pecuária de Marioco, Viegas Lucas, explicou que, neste momento, pelo menos 100 hectares já estão semeados com ginguba, feijão, banana, cana-de-açúcar, inhame, milho, mandioca e outros produtos alimentares. Para além da produção agrícola, disse, a cooperativa do Marioco prevê, também, no próximo ano agrícola, lançar um projecto de criação de gado bovino, caprino, suíno e ovino, pesca artesanal e a exploração de madeira.
Viegas Lucas disse que os agricultores criaram a cooperativa para contribuir, positivamente, na redução da pobreza no seio das famílias: “as estradas estão totalmente reabilitadas, os meios de transporte circulam à vontade e, por isso, já não temos razões de queixa em relação ao processo de escoamento dos produtos que cultivamos”, disse.
Fundada a 28 de Abril de 2011, a Cooperativa Marioco, composta por 200 agricultores, cumprem gradualmente as acções preconizadas para o bem-estar das famílias, mas Viegas Lucas lamentou a falta de máquinas de lavoura, sobretudo tractores, charruas e outros equipamentos que fazem falta com vista ao aumento da produtividade de alimentos.
 “Se o Executivo aposta na melhoria das condições de vida dos habitantes através da construção de escolas, centros e postos de saúde, abertura de estradas e outras acções, nós também temos o dever de contribuir neste esforço,  para o desenvolvimento sustentável das nossas famílias, em particular, e do município, em geral”, disse. O presidente da cooperativa agro-pecuária de Marioco, Viegas Lucas, afirmou que, actualmente, a agricultura é dos sectores que está a facilitar a criação das condições básicas das famílias nas mais diversas localidades da província.Os habitantes de Marioco vivem dias melhores.
A aldeia tem uma nova escola primária com seis salas de aulas, que está a proporcionar maior qualidade no processo de ensino e aprendizagem aos 420 alunos matriculados, que anteriormente estudavam debaixo das árvores. A população, também, já não anda quilómetros para ter acesso aos serviços de saúde. A localidade tem um novo posto de saúde com consultório médico, enfermaria com quatro camas, sala de partos, farmácia e balneários.
A instalação de um sistema de captação, tratamento e abastecimento da água potável encurtou a distância que a população percorria para acarretar o preciso líquido. O novo sistema funciona através de um tanque com capacidade para dois mil metros cúbicos, que distribui água pelos três chafarizes da aldeia e uma lavandaria. Mais de 1.500 habitantes da localidade beneficiam do sistema.
A localidade de Marioco tem uma população de 1.500 habitantes, que se dedicam ao cultivo da mandioca, ginguba, feijão, milho, banana, cana-de-açúcar, café, inhame e hortícolas.

Tempo

Multimédia