Províncias

Camponesas incentivadas a aumentar a produção

Joaquim Júnior | Uíge

A directora provincial do Uíge da Família e Promoção da Mulher aconselhou as mulheres rurais da região a "participarem activamente" no combate à fome e à pobreza e na diversificação da economia, com o aumento da produção agrícola.

Na província do Uíge estão agendadas diversas actividades no âmbito da Jornada "Março Mulher" aberta na cidade do Negage
Fotografia: Eunice Suzana | Uíge

Catarina Pedro Domingos falava no acto de abertura da jornada “Março Mulher”, que juntou centenas de mulheres de vários estratos sociais na vila do Negage, acrescentou que face à conjuntura actual que o país vive, a mulher rural deve desempenhar "um papel fundamental" no processo de diversificação da economia, trabalhando no aumento da produção agrícola, para garantir a dieta alimentar das famílias.
A directora provincial do Uíge da Família e Promoção da Mulher  sublinhou que, através do Programa de Apoio à Mulher Rural, em curso no país, o Executivo está a criar condições para os principais problemas que afectam as associações de agricultoras, oleiras, artesãs e outras serem paulatinamente solucionados.
Quanto ao lema da jornada, “2015 ano de desenvolvimento da mulher em prol da igualdade do género”, Catarina Pedro Domingos considerou que o elevai levar as mulheres da região a dedicarem-se mais ao trabalho,  "demonstrando no seu profissionalismo e criatividade, socialização, capacidade de liderança e de direcção, a realização de acções que contribuem para o aumento da produção alimentar, formação e instrução familiar, bem como para a partilha do poder entre homens e mulheres".
Catarina Domingos encorajou as mulheres a "denunciarem os actos de violência doméstica", em todas as suas formas, para punir os infractores. Sublinhou que os centros de aconselhamento das organizações femininas, as técnicas municipais da família, líderes religiosos, conselhos de famílias e padrinhos devem ajudar a solucionar os problemas das famílias em conflito.

Incentivado o diálogo familiar


Catarina Domingos defendeu a necessidade de se promover cada vez mais o "diálogo no seio das famílias", repudiando todas as condutas desviantes que muitas vezes trazem consigo resultados negativos.
“Não podemos continuar a pautar-nos pela desestruturação das famílias, porque temos responsabilidades acrescidas para ensinar e instruir os filhos, para que sejam úteis à sociedade. Não se justifica que um mero problema de alimentação leve ao desentendimento, tudo por falta de união ou diálogo familiar”, referiu.
A administradora municipal do Negage, Rosa Pedro Garcia, disse que as recomendações saídas do Fórum Nacional de Auscultação à Mulher Rural, realizado no ano passado, estão a ser implementadas com sucesso. 
Explicou que as mulheres das regedorias de Cangundo e Quissegue receberam também moagens e foram distribuídos meios de trabalho como catanas, limas e enxadas às agricultoras das regedorias de Bango, Quindando e Tuti, “acções que nos próximos dias se estendem para outras localidades tão logo sejam criadas as condições financeiras”. Rosa Garcia garantiu que a aprovação do Orçamento Geral do Estado para este ano, que inclui recursos financeiros para projectos ligadas à mulher rural, vai facilitar às administrações municipais do Uíge implementarem, sem constrangimentos, vários projectos, que vão ajudar a minimizar as necessidades das comunidades rurais.

Tempo

Multimédia