Províncias

Camponeses pedem reabilitação de estradas

Valter Gomes | Damba

O chefe da Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA), na Damba, apelou para a recuperação dos cerca de 80 quilómetros da estrada que liga esta sede municipal à comuna do Lêmbua, no sentido de facilitar o escoamento dos produtos agrícolas.

Estado de degradação de algumas vias de acesso à Damba dificulta o escoamento de produtos
Fotografia: Jaimagens

Basílio Nunes disse que a degradação da referida via de acesso entre as duas localidades está a dificultar o escoamento dos produtos do campo para os principais mercados. Acrescentou que, devido às más condições de circulação no interior do município, que dificultam a presença de compradores e de meios de transporte, produtos como mandioca, batata rena e doce, abóbora, cebola, couve e citrinos apodrecem nos campos agrícolas.
O chefe da EDA avançou que os camponeses locais produzem alimentos diversos e em grande escala, mas as dificuldades para escoar os bens, principalmente durante a época chuvosa, constituem barreiras e desencorajam alguns produtores. O responsável explicou que o município controla 68 associações de camponeses e oito cooperativas agrícolas, que produzem principalmente mandioca, banana, feijão, milho, gergelim, jinguba, abóbora e hortícolas diversas.
Basílio Nunes esclareceu que a mandioca, apesar de ser o principal alimento da região, é hoje o produto que oferece maior rentabilidade económica aos agricultores locais, a julgar pela grande procura que se verifica actualmente.
“Nos últimos anos, apesar das dificuldades, os camponeses associados e pequenos agricultores intensificaram a produção da mandioca na região e a transportam, às vezes, para os grandes mercados”, informou.
Na época agrícola passada, os camponeses integrados em associações trabalharam 48 mil hectares, cujo rendimento atingiu níveis satisfatórios. “A intenção é aumentar a produção para mais de 50 mil hectares”, disse.
Basílio Nunes apontou a falta de máquinas de lavoura, de financiamentos bancários e de instrumentos básicos para o trabalho agrícola, como enxadas, catanas, limas, machados, além de motobombas e regadores, como as principais dificuldades que os camponeses do município da Damba enfrentam.
Referiu que a EDA da Damba tem vindo a prestar assistência técnica aos camponeses organizados em associações, cooperativas e aos pequenos agricultores. “Mas, isso tem sido insuficiente para satisfazer as necessidades dos associados”, realçou o responsável.
Localizado a 197 quilómetros da sede provincial do Uíge, o município da Damba está subdividido em quatro comunas e 312 aldeias. A sua população estima-se em mais de 175 mil habitantes.

Tempo

Multimédia