Províncias

Camponeses sem meios de trabalho

Valter Gomes | Uíge

Camponeses integrados na Associação Agrícola Neves Bendinha, na localidade do Cungula, município do Uíge, necessitam de tractores e outros equipamentos de lavoura para o aumento da produção agrícola e do reforço da dieta alimentar das famílias.

Apesar da insuficiência de máquinas de lavoura na localidade estão a ser preparadas centenas de hectares para a produção da mandioca
Fotografia: Dombele Bernardo

O presidente da agremiação e soba da localidade, Lucas Elias, disse , ontem, no Uíge, que os associados necessitam de meios para potenciarem a actividade agrícola, uma das principais actividade da população local.
Entre os meios de que mais necessitam os camponeses para que possam produzir o suficiente, constam motobombas, enxadas, catanas, picaretas, além de uma viatura para possibilitar o escoamento dos produtos do campo à cidade.
Apesar da insuficiência de máquinas de lavoura, na localidade estão a ser preparados  mais de 100 hectares de terra para a produção da mandioca, feijão, milho, ginguba, batata-doce e outros produtos.
“Temos já grandes quantidades de produtos em fase de colheita, sobretudo a banana de mesa, mandioca e feijão, cultivados na última época agrícola de 2013/2014. Mas não temos como colocar o produto no mercado, por falta de transportes”, disse.
O reforço da dieta alimentar no seio das famílias, constitui um dos objectivos da Associação A­grícola Neves Bendinha, que trabalha igualmente na diversificação da economia local.
Fundada em 2003, a Associação Neves Bendinha da aldeia Cungula é constituída por 165 membros. O presidente da agremiação, Lucas Elias apontou a degradação da via de acesso à localidade, numa extensão de sete quilómetros até a Estrada Nacional Uíge-Negage, como um dos factores que tem contribuído no processo de escoamento dos produtos.
“Os automobilistas demarcam-se em colocar as suas viaturas na localidade para evitar danos. Nesta região produz-se diversidade de alimentos em grande e pequena escala, mas enfrentamos dificuldades para escoá-los”, esclareceu.
Em função do actual quadro, o presidente da associação solicitou ao Governo da província que efectue um trabalho de terraplanagem no troço que liga  as localidades da Terra Nova e outras do município do Negage. Lucas Elias considerou fundamental a reabilitação da via para permitir potenciar a  agricultura e garantir o progresso da localidade, com vista ao bem-estar social dos habitantes.
O  mau estado da via tem  influenciado  os atrasos dos professores que leccionam em Cungula, visto que são obrigados a percorrerem os sete quilómetros a pé.
A aldeia Cungula, localizada a 22 quilómetros da cidade do Uíge, tem uma população estimada em 500 habitantes. A localidade possui um posto de saúde que proporciona os primeiros socorros aos residentes.
 A unidade funciona com apenas um enfermeiro. Mas apesar disso, o soba garantiu que o atendimento é positivo, a julgar pelo número de casos superados ali. “Também temos uma escola de três salas onde as nossas crianças aprendem a ler e a escrever, mas insuficiente para dar resposta a demanda. A escola funciona com três professores que transmitem o seu saber aos 250 alunos matriculados da iniciação a 6ª classe”, concluiu Lucas Elias.

Tempo

Multimédia