Províncias

Cangola aposta na melhoria da formação profissional

Valter Gomes |Cangola

O município de Cangola, na província do Uíge, vai, a partir do próximo ano, contar com um centro de formação profissional, a ser construído e apetrechado pela Administração Municipal, em parceria com o INEFOP.

Curso de serralharia é um dos mais procurados por jovens que pretendem abrir empresas de prestação de serviços
Fotografia: Edmundo Eucilio | Edições Novembro | Bengo

O administrador municipal de Cangola, Pedro Cogi Zua, que avançou a informação ao Jornal de Angola, quando respondia a algumas preocupações da juventude de Cangola, assegurou que as condições para a construção e apetrechamento do centro estão criadas, aguardando-se apenas o arranque da obra, dentro de poucos dias.
Explicou que o centro terá mais de 15 salas com capacidade para 700 alunos, dos quais 200 para área do internato. O centro vai ministrar os cursos de Agronomia, Electricidade, Construção Civil, Carpintaria, Informática, Culinária, Decoração, Serralharia, entre outros.
Pedro Zua avançou que recentemente a Administração Municipal recebeu do INEFOP garantias sobre a criação e a abertura da instituição de formação profissional, com valências aceitáveis.
“A juventude pode ficar descansada, estamos em constante interacção com o INEFOP, no próximo ano teremos o instituto profissional em funcionamento em Cangola”, garantiu.
O director municipal da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Álvaro Canga, aplaudiu a iniciativa da Administração e do INEFOP, tendo em conta que, devido à falta de uma instituição de género, muitos jovens enfrentam dificuldades em termos de formação profissional.
“Estamos satisfeitos, uma vez que a juventude vai beneficiar de formação profissional localmente, sem precisar percorrer distâncias, porque a retirada do Instituto Médio Agrário de Cangola criou um vazio na formação da juventude”.
Defendeu igualmente a criação de uma biblioteca municipal para facilitar a investigação dos temas científicos, visto que actualmente os estudantes percorrem longas distâncias, até à capital da província, para efectuar pesquisas e completar trabalhos em grupo.

O administrador Pedro Zua afirmou que o município de Cangola possui sítios turísticos invejáveis, com destaque para as quedas do Cacaluida, localizadas no Rio Cawal, a 70 quilómetros da sede do município, as quedas de Quinzuanga, na comuna do Cayongo, as grutas do Sambela, que fazem a fronteira com o município de Camabatela, província do Cuanza-Norte, a base do Luvua, o Talabanga, antiga base da guerrilha contra o colonialismo em 1961 e outros.
Álvaro Canga avançou que tendo em conta a extensão geográfica do município, a Administração Municipal está a desenvolver acções de identificação e catalogação de novos sítios turísticos, bem como encontrar soluções para a melhoria das condições dos mesmos, para facilitar a atracção dos turistas.
"Temos recebido algumas solicitações de turistas, com o desejo de visitar os locais existentes, mas, devido às péssimas condições de circulação, as visitas não são concretizadas. Pretendemos melhorar as vias de acesso, para permitir que os investidores possam explorar da melhor forma este potencial do município".
Segundo o administrador, os locais turísticos existentes na região, caso sejam devidamente explorados, podem contribuir para o desenvolvimento do município, visto que as quedas do Caca Luidi bem aproveitadas podem fornecer energia eléctrica e água potável à população.

Desporto

Segundo o administrador de Cangola, a juventude reparte o tempo entre o campo e o desporto, com destaque para o futebol 11, basquetebol, futebol salão, desporto de luta livre, apesar do município carecer de infra-estruturas para o desenvolvimento das diferentes modalidades.
O município possui três campos, mas não oferecem condições favoráveis para a prática do futebol 11. Cangola regista também a falta de pavilhões para a prática de basquetebol e futsal.
“O município possui 22 equipas de futebol 11, recentemente foram adquiridos materiais desportivos, que, dentro de dias, antes do arranque do campeonato municipal, vão ser distribuídos, para as equipas actuarem condignamente", disse o administrador, acrescentando que a juventude dedica-se também à dança tradicional. Em Cangola existem quatro grupos de dança tradicional.
Com uma população estimada em mais de 52 mil habitantes, Cangola é composto por duas comunas (Caiongo e Bengo), 22 regedorias e 119 aldeias. A população na sua maioria dedica-se à actividade agrícola.

Tempo

Multimédia