Províncias

Casas sociais na vila de Mucaba recebem os primeiros moradores

Joaquim Júnior | Mucaba

Um total de 70 casas sociais do tipo T3, erguidas no âmbito do projecto de construção de 200 focos habitacionais em curso no município do Mucaba, província do Uíge, acolheu sábado os primeiros moradores.

Os beneficiários foram seleccionados pela administração mediante constituição de processos e avaliação das respectivas capacidades financeiras
Fotografia: Domingos Cadência

Os munícipes contemplados foram seleccionados pela administração municipal, mediante constituição de processos e avaliação das respectivas capacidades financeiras, tendo em conta que as referidas residências são adquiridas no sistema de renda resolúvel, cujo valor mínimo mensal é de 11 mil kwanzas, a serem liquidados em 25 anos.
O vice-governador do Uíge para o sector Técnico e Infra-estruturas, Afonso Luviluco, referiu que o acto de entrega das residências acontece em resposta aos desígnios do Governo, enquadrados no Programa Nacional de Habitação, onde o município do Mucaba é um dos felizes contemplados.
Afonso Luviluco disse que, apesar do momento financeiro menos bom que o país atravessa, o Governo está a envidar esforços para que o bem-estar da população seja uma realidade.
“As casas que foram entregues são agora vossa propriedade patrimonial, por isso devem ser bem cuidadas e não deixem de cumprir com o pagamento das rendas”, apelou o vice-governador, para quem só com o pagamento regular e pontual será possível concluir as restantes habitações.A administradora municipal do Mucaba, Maria Fernando Cavungo, disse que a entrega de residências na região é resultado do empenho do Executivo angolano, cada vez mais comprometido com a busca de soluções dos problemas que afligem a população.
“A nossa alegria é enorme, por estarmos entre as localidades do país contempladas no projecto de 200 fogos habitacionais, permitindo que hoje alguns munícipes realizassem o sonho da casa própria.Um dos contemplados, Felgas António, funcionário da Rádio Nacional de Angola no Uíge, manifestou a sua satisfação por adquirir pela primeira vez uma casa, que vai oferecer maior dignidade à sua família.
Outro contemplado é António Muhoto, empresário, que depois de receber as chaves da nova residência disse que o plano de construção de casas sociais no Mucaba vai permitir que muitos jovens, com dificuldades, para erguer uma moradia, tenham a oportunidade de viver o sonho da casa própria.
Reconheceu que tendo em conta que o material de construção está cada vez mais caro, elevando desta forma os custos para a construção de uma residência, este projecto veio ajudar os jovens a realizarem o sonho da casa própria. Das 170 residências construídas no Mucaba, apenas 70 foram concluídas, enquanto as restantes aguardam por obras de acabamento, como reboque, pintura, colocação de tecto falso, janelas e portas.

Projecto Vila Limpa


A administração municipal lançou sábado o projecto denominado “Vila Limpa e Arborizada”, que tem como objectivo a protecção e conservação do meio ambiente, através da plantação de árvores, campanhas de limpeza e educação da população, para a melhoria das condições de vida.
O vice-governador do Uíge para o sector Técnico e Infra-estruturas, Afonso Luviluco, que presenciou o lançamento, considerou que a iniciativa é de grande valor para a comunidade, atendendo às constantes alterações climáticas no país e na região, em particular, que requer acções direccionadas para a protecção do meio ambiente.
Afonso Luviluco reforçou a necessidade de educar-se mais a população local, que, para além das campanhas de limpeza e plantação de árvores, deve cultivar o hábito da criação de latrinas, como forma de evitar várias doenças causadas pela falta de higiene.O coordenador do projecto, Joaquim Mahungo, disse que o projecto prevê plantar mais de mil espécies, entre eucaliptos, acácias rubras e palmeiras ornamentais, na vila municipal do Mucaba. “Pretendemos, com isso, contribuir para a melhoria da imagem do município”, concluiu.

Tempo

Multimédia