Províncias

Centro de saúde melhora atendimento

Valter Gomes | Uíge

O Centro Materno Infantil do bairro Pedreira, periferia da cidade do Uíge, aumentou a sua capacidade de internamento, com a ampliação das instalações.

Centro Materno Infantil atende as populações provenientes dos diversos bairros da sede provincial principalmente das áreas periféricas
Fotografia: Mavitidi Mulaza| Uíge

Novos equipamentos de laboratório para análises clínicas e a abertura de mais serviços de saúde garantem melhor assistência às mães e crianças.
Com a ampliação, o Centro Materno Infantil passou a disponibilizar serviços de medicina geral, internamento, banco de urgência e análises clínicas, que se juntam aos de puericultura, programa alargado de vacinação, maternidade, pré-natal, ginecologia, consultas externas e planeamento familiar.
O número de camas aumentou de seis para 25 e os pacientes beneficiam agora de um atendimento cada vez mais personalizado e de elevada qualidade.
A chefe do centro, Joana Teta Gomes, explicou ao Jornal de Angola que a abertura de novos serviços permite um atendimento diário mais adequada a centenas de pacientes, entre grávidas e crianças.
A ampliação do centro materno-infantil veio responder à elevada procura. Antes das obras chegavam a estar três ou mais crianças na mesma cama.
 “O laboratório de análises clínicas já funciona há dois anos, a área de medicina geral só foi aberta no princípio deste ano e a pediatria e enfermaria no início deste mês”, revelou Joana Gomes, pedindo à população para prpcurar os novos serviços em vez de enfrentar as enchentes no Hospital Central do Uíge. Os técnicos do Programa Alargado de Vacinação (PAV) imunizaram, este ano, milhares de crianças contra a pólio, BCG, sarampo, febre-amarela e tétano, informou Joana Gomes, que está preocupada com as vias de acesso ao centro médico, sobretudo no tempo das chuvas.
“Estamos preocupados com a chegada das chuvas que podem tornar intransitável o acesso da cidade ao bairro da Pedreira, que fica muito lamacento e escorregadio”, sublinhou, lamentando que os taxistas chegam a abandonar os doentes no limite entre o asfalto e a estrada de terra batida, provocando sérios transtornos, principalmente às mulheres grávidas.
Acrescentou que “algumas vezes a nossa ambulância recolhe as mulheres grávidas na via porque os taxistas não aceitam chegar até ao centro”, disse.

Admissão de pessoal

O Centro Materno Infantil do bairro da Pedreira funciona com 35 enfermeiros e quatro médicos, um número insuficiente para as necessidades, disse Joana Gomes, que defende a admissão de mais três médicos (medicina geral, pediatra e obstetra), 20 enfermeiros e quatro técnicos de laboratório.
O Centro Materno Infantil do bairro Pedreira, periferia da cidade do Uíge, atende também as populações provenientes dos diversos bairros da sede provincial do Uíge, principalmente as do Papelão, Caquiuia, Candombe Novo e Velho, Mbemba Ngango, Capote, Quimacungo e Tange.

Tempo

Multimédia