Províncias

Cidade universitária do Uíge está na forja

Nicodemos Paulo| Uíge

A Universidade Kimpa Vita apresentou quinta-feira, na cidade do Uíge, aos membros do Governo Provincial do Uíge, o plano director para a construção da futura cidade universitária e a maqueta do Jardim Botânico.

Os mentores do projecto foram recebidos por membros do Governo da província do Uíge
Fotografia: Eunice Suzana| Uíge

O projecto, elaborado por arquitectos da Universidade Alemã de Dresden, no quadro de um protocolo de cooperação com instituições do ensino superior do país, vai ser executado em três anos.
Quanto ao Jardim botânico, o empreendimento, que vai ocupar uma área de cerca de 1.500 hectares, destina-se à produção de plantas medicinais e ornamentais pelos estudantes do curso de Agronomia.
Prevê-se também a construção de um centro de pesquisa experimental para a agricultura, civicultura e pecuária, salientou Joerg Rainer Noernnig, coordenador do projecto pela Universidade de Dresden.
O responsável referiu que o protocolo facilita a troca de experiências entre as duas universidades, com vista a elevar cada vez mais os níveis de formação dos estudantes.
Avançou que dois investigadores alemães estão, desde Março, no Uíge, a trabalhar na área de Biologia, para transmitir experiências aos técnicos angolanos, enquanto são feitos estudos arquitectónicos e avaliados os custos.
“É importante salientar que esta região é das menos estudadas nesta zona e, por isso, temos muito interesse em descobrir com os investigadores angolanos novas espécies de plantas e insectos que podem ser úteis ao homem”, disse Joerg Rainer Nornnig. O vice-reitor da Universidade Kimpa Vita, Sony Cipriano, explicou que o jardim botânico vai servir também para a pesquisa e reflorestação das áreas degradadas através da reprodução de plantas locais e regionais. “Trata-se de um investimento que servirá, igualmente, aos técnicos agrícolas na identificação das pragas que afectam as culturas”, sublinhou o académico. Acrescentou que, com a criação do jardim botânico, criam-se condições para a produção local de fármacos, sobretudo pelo conhecimento tradicional já disponível, combinado com os estudos científicos. A Universidade Kimpa Vita faz parte da VII região académica, que compreende as províncias do Uíge e do Kwanza-Norte. Conta com os departamentos de investigação dos solos, plantas medicinais e aromáticas e estudo de insectos.

Tempo

Multimédia