Províncias

Circulação rodoviária regressou ao normal

A circulação rodoviária entre o município do Lucala e a sede municipal de Samba Caju, na Estrada Nacional 140, província do Cuanza Norte, foi restabelecida no princípio da noite de sexta-feira, 15 dias após a sua interrupção, devido ao desabamento da ponte sobre o rio Kiongua, provocado por um camião com carga superior à permitida.

Ministro da Construção Waldemar Alexandre durante a visita realizada ao Cuanza Norte para verificar obras da ponte destruída
Fotografia: Silvino Fortunato

O desabamento da ponte interrompeu igualmente a circulação rodoviária entre Luanda e Uíge, passando pelo Cuanza Norte, bem como para os municípios da Banga, Quiculungo, Bolongongo e Ambaca.
O administrador municipal de Samba Caju, Mateus André Garcia, citado pela Angop, disse que a reposição da circulação rodoviária teve lugar por volta das 19h45 de sexta-feira, depois de concluídos os trabalhos de instalação de uma nova ponte metálica no mesmo local por uma equipa do Instituto de Estradas de Angola (INEA).
A nova ponte instalada, com as mesmas características da anterior, foi duplamente reforçada, tem 70 metros de comprimento, quatro de largura e capacidade para mais de 70 toneladas, segundo garantias dadas pelo responsável do INEA no Cuanza Norte, Mendonça Luís.
As autoridades do município de Samba Caju pedem ainda a reabilitação de outra ponte de metal sobre o rio Cuso, no mesmo troço rodoviário, que se encontra em mau estado de conservação, receando que a mesma venha também a desabar.
A Estrada Nacional 140 liga Nóqui, na província do Zaire, a Santa Clara, no Cunene, passando pelas províncias do Uíge e Cuanza Norte.
O ministro da Construção, Waldemar Pires Alexandre, averiguou a 19 de Junho o andamento das obras de reposição da ponte metálica sobre o rio Kiongua, destruída dia 12 do mesmo mês por um camião que transportava cimento.
O ministro observou o empenho dos técnicos do INEA, bem como o desespero de camionistas que se encontravam encalhados no local pelo desabamento da ponte.
O governante adiantou que contra o autor da destruição da ponte foi movido um processo-crime por negligência, no sentido de ser responsabilizado pelos danos cometidos.
O ministro avaliou também as obras de reabilitação e asfaltagem do troço rodoviário de 38 quilómetros na Estrada Nacional 320-1, entre a localidade do Cuso e a vila de Samba-Lucala, no município de Samba Caju. As obras deste troço estão a ser implementadas no quadro do programa de projectos estruturantes do Ministério da Construção e compreendem limpeza, compactação do terreno e a colocação da base e da sub-base numa extensão de 28 quilómetros.
Waldemar Pires Alexandre constatou, igualmente, a evolução das ravinas que avançam sobre o novo mercado da cidade de Ndalatando, construído no bairro Catome de Cima, cuja utilização está condicionada há dois anos.
Na sua visita à província do Cuanza Norte, Waldemar Pires deslocou-se também aos municípios do Golungo Alto e Ngonguembo, onde constatou o estado das vias daquelas municipalidades, principalmente o troço que liga Golungo Alto a Ngonguembo, cuja dificuldade de trânsito constitui um empecilho para o desenvolvimento da região. A reabilitação dos dois eixos rodoviários de terra batida de acesso aos municípios da Banga, Quiculungo e Ngonguembo, na província do Cuanza Norte, constam das prioridades da programação financeira  para o próximo ano do Instituto de Estradas de Angola (INEA), disse  o ministro da Construção, Waldemar Pires Alexandre, quando fazia a avaliação das realizações do seu pelouro na província do Cuanza Norte.
 “Vamos trabalhar para que, no próximo ano económico, conste no Orçamento Geral do Estado o recomeço da reabilitação dessas vias”, disse Waldemar Pires Alexandre. A retomada da reabilitação das vias, referiu o ministro, está inserida num programa de reestruturação da carteira de contratos considerados problemáticos que o sector da construção identificou e que agora são alvo de renegociação. O Governo da Província do Cuanza Norte leva a cabo um programa de reabilitação de estradas terciárias, que abrange o troço entre Catome de Baixo e Quedas do rio Muembeji.
Durante o Conselho Consultivo, realizado a 19 de Junho, Waldemar Pires Alexandre recordou que o Ministério da Construção concebeu “um plano de intervenção em troços críticos que não resistiram à erosão do tempo e à utilização intensiva do tráfego rodoviário”.
“Essas vias requerem uma intervenção substancial, visando restabelecer a normalidade da circulação rodoviária em itinerários de grande importância económica e social”, disse. Waldemar Pires Alexandre anunciou que vão recomeçar as visitas às Estradas Nacionais por decorrerem várias obras em vários pontos do país que após concluídas aumentam a oferta de vias transitáveis em boas condições.

Tempo

Multimédia