Províncias

Conflitos familiares aumentam no Uíge

António Capitão | Uíge

A directora da Família e Promoção da Mulher no Uíge, Emília Dias Fernandes, afirmou, na sexta-feira, que muitos casos de conflito familiar que chegam ao centro de aconselhamento estão relacionados com fugas à paternidade, à prestação de pensão de alimentos e à falta de carinho e afecto.

A directora da Família e Promoção da Mulher no Uíge, Emília Dias Fernandes, afirmou, na sexta-feira, que muitos casos de conflito familiar que chegam ao centro de aconselhamento estão relacionados com fugas à paternidade, à prestação de pensão de alimentos e à falta de carinho e afecto.
“No ano passado, registámos mais de 400 denúncias, algumas das quais envolviam cenas de agressão física contra mulheres”, informou. O pai desempenha um papel importante na educação dos filhos e na transmissão de valores, diz Emília Dias. “O pai, na nossa sociedade, está ausente dos problemas da família. Caso o filho fique doente, nem se importa em saber o que sente e raramente o acompanha ao hospital”.
Emília Fernandes reconheceu que as mulheres na província começam a ganhar espaço nos locais de serviço. De acordo com a responsável, em alguns organismos do Estado os cargos de direcção são ocupados por mulheres. “Embora o número seja ainda reduzido, estão a começar a ganhar espaço nos locais de trabalho”, acentuou.
Para a contínua inclusão de mais mulheres em cargos de decisão, a directora da Família e Promoção da Mulher, Emília Fernandes pediu-lhes que elevem o nível de escolaridade.

Tempo

Multimédia